Acnur chocado com centenas de mortes em naufrágio no Mediterrâneo

Ouvir /

Alto Comissariado da ONU pediu aos países da região que aumentem capacidade de busca e salvamento; acidente ocorreu com barco a 120 km de Lampedusa, na Itália; equipes resgataram 142 pessoas e 400 estão desaparecidas.

Membro do Acnur acompanha o desembarque pessoas resgatadas do Mediterrâneo. Foto: Acnur/F.Malavolta

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, pediu aos países do Mediterrâneo que tenham como prioridade "salvar vidas", aumentando urgentemente suas operações de busca e resgate.

O pedido foi feito depois do naufrágio de mais um barco, nesta segunda-feira, quando estava a 120 km da ilha de Lampedusa, na Itália. Segundo as autoridades, 142 pessoas foram resgatadas e oito corpos recuperados. Calcula-se que, pelo menos 400 pessoas estejam desaparecidas.

Sistema de Resgate

O chefe do Acnur, António Guterres, afirmou que "está profundamente chocado com a notícia do naufrágio de mais uma embarcação superlotada no Mediterrâneo, onde 400 pessoas morreram".

Segundo Guterres, "isso demonstra como é importante ter um sólido sistema de resgate no mar na região central do Mediterrâneo". Ele explicou que, "infelizmente a operação Mare Nostrum nunca foi substituída por outra com a mesma capacidade de salvamento de pessoas".

A Mare Nostrum foi uma ampla operação de busca e resgate no Mediterrâneo implementada pela Itália depois dos desastres ocorridos perto de Lampedusa em outubro de 2013. Na época, centenas de pessoas morreram em dois naufrágios. A iniciativa foi suspensa em dezembro do ano passado.

"Triste e Horrorizado"

O diretor executivo do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, disse que também ficou “triste e horrorizado” com o afogamento de centenas de migrantes no Mediterrâneo.

Yuri Fedotov fez a declaração em entrevista à Rádio ONU, esta quarta-feira, em Doha, onde participa do Congresso das Nações Unidas sobre Prevenção ao Crime e Justiça Penal.

Fedotov disse que o contrabando de migrantes explora cruelmente o seu desespero e dá altos lucros às organizações criminosas.

Segundo o chefe do Unodc este episódio ocorreu num dia e “uma pessoa do outro lado do Mediterrâneo pode ter recebido mais de US$ 1,5 milhão na sua conta bancária” com a operação de contrabando.

Combate

Para ele, esse tipo de crime precisa ser combatido. Fedotov destacou a necessidade de se proteger os direitos dos migrantes e apoiá-los além de dar auxílio às mulheres e crianças, incluindo os menores desacompanhados.

Fedotov também citou a necessidade de enfrentar os criminosos e acabar com sua rede através do reforço da cooperação entre as nações, as organizações intergovernamentais e a sociedade civil.

Ele disse ainda que as soluções estão contidas na Convenção da ONU sobre Crime Organizado Transnacional e no Protocolo sobre o Tráfico Ilícito de Migrantes por Terra, Mar e Ar.

Travessia Perigosa

O Acnur disse que a região do Mediterrâneo se tornou, nos últimos anos, na travessia mais perigosa entre as quatro principais rotas marítimas mundiais usadas por migrantes e refugiados.

As outras três estão na região do Caribe, no Mar Vermelho e na Baía de Bengala. No ano passado, 219 mil refugiados e migrantes cruzaram o Mediterrâneo, pelo menos 3,5 mil morreram.

Só neste ano, 31,5 mil pessoas conseguiram realizar a travessia e chegaram à Itália e à Grécia, os dois países que recebem mais migrantes pelo Mediterrâneo.

Segundo a Guarda Costeira italiana, os números aumentaram nas últimas semanas. Desde 10 de abril, mais de 8,5 mil pessoas foram resgatadas em dezenas de barcos na região.

O Acnur afirmou que se as 400 mortes do naufrágio de segunda-feira forem confirmadas, o total de óbitos desde janeiro vai chegar a 900.

Leia Mais:

Unodc quer migrantes protegidos após "morte de 400″ no Mediterrâneo

OIM organiza painel sobre identificação de migrantes desaparecidos

OIM confirma mortes e desaparecidos em naufrágios no Mediterrâneo

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031