Acnur ajuda sobreviventes de viagens marítimas em locais de detenção na Líbia

Ouvir /

Agência fala de pelo menos 2.663 migrantes ou candidatos a asilo em oito centros de detenção de migrantes no país; porta-voz disse que cidadãos são de nacionalidades somali, eritreia, etíope e sudanesa.

Uma série de naufrágios tem chamado a atenção pelos riscos enfrentados por refugiados e migrantes que tentam chegar à Europa. Foto: Acnur/Phil Behan

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, e parceiros prestam assistência a centenas de pessoas na Líbia que foram resgatadas no mar ou intercetadas pela guarda costeira.

A agência ajudou cerca de 1.242 pessoas apanhadas em águas líbias. A maioria foi levada para centros de detenção de migrantes dsde meados de abril.

Naufrágios

Uma série de naufrágios ocorrida desde o período tem chamado a atenção de todo o mundo pelos riscos enfrentados por refugiados e migrantes que tentam chegar à Europa.

A porta-voz Ariane Rummery, disse que o Acnur está "ciente de pelo menos 2.663 migrantes ou candidatos a asilo, incluindo mulheres e crianças, em oito centros de detenção de imigração na Líbia". Este número seria um "aumento significante" em relação às 1.455 pessoas há um mês.

Africanos

Ela afirmou que "as principais nacionalidades nos centros são somalis, eritreus, etíopes e sudaneses, além de pessoas de diversos países em África Ocidental".

Para a agência, há 15 centros de imigração a funcionar no momento no país.

Segundo o Acnur, estrangeiros na Líbia podem ser presos por falta de estatuto legal de imigração e podem ficar detidos de uma semana a 12 meses.

A porta-voz explicou que, normalmente, a agência "pode organizar a libertação de refugiados e candidatos a asilo registados em seu escritório dentro de alguns dias". Ariane Rummery afirmou, no entanto, que a capacidade da agência de registar pessoas recém-chegadas à Líbia é limitada pela atual situação de segurança.

O Acnur defende ainda a libertação de pessoas muito vulneráveis, como mulheres grávidas e também, se possível, que sejam encontradas alternativas à detenção.

Condições

Equipas locais da agência e parceiros que visitaram os centros de detenção disseram haver necessidade urgente de mais ajuda médica e melhores condições de saneamento e ventilação, além de artigos básicos de assistência.

Em alguns centros, mais de 50 pessoas estão em salas planeadas para metade do número.

Refugiados e Deslocados

Cerca de 36 mil refugiados e candidatos a asilo foram registados pelo Acnur na Líbia, embora alguns possam ter-se mudado. O maior grupo é composto por sírios.

A agência da ONU também continua a entregar ajuda como colchões, cobertores, roupas e utensílios de cozinha a milhares de deslocados internos líbios.

Segundo dados das Nações Unidas, cerca de 400 mil líbios foram deslocados por diversas vagas de violência.

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

Leia Mais:

ONU fala de "detenção generalizada e prolongada" de migrantes na Líbia

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031