Subsecretário-geral cita possível envio de missão de paz para Ucrânia

Ouvir /

Assunto foi tema de conversa entre representantes do governo ucraniano e da ONU; segundo Jeffrey Feltman, ainda não foi recebido qualquer pedido formal; Ocha alerta que país tem 1,1 milhão de deslocados e 5 milhões precisam de ajuda humanitária.

Civis na Ucrânia. Foto: Acnur/Iva Zimova

Eleutério Guevane e Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

Falando ao Conselho de Segurança nesta sexta-feira, o subsecretário-geral das Nações Unidas para os Assuntos Políticos mencionou que autoridades ucranianas contactaram a organização para o possível envio de uma missão de paz ao país.

Jeffrey Feltman disse que o Ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Pavlo Klimkin, colocou a questão em conversa em que também estavam o secretário-geral, Ban Ki-moon, e o subsecretário-geral da ONU para Operações de Paz, Hervé Ladsous. Eles informaram que a decisão cabe aos membros do Conselho e que as Nações Unidas vão se guiar por ela.

Clímax

Segundo Feltman, até o momento, não foi recebido nenhum pedido formal da Ucrânia.

A hipótese desta solicitação foi mencionada pelo presidente Petro Poroshenko, no mês passado, quando ocorriam combates na cidade de Debaltseve. Feltman disse que os confrontos “deixaram centenas, se não milhares de civis inocentes no meio do fogo cruzado”.

Na época, o Conselho aprovou por unanimidade uma resolução sobre o processo de paz no leste da Ucrânia para envolver ainda mais as partes na busca de uma solução urgente e duradoura para o conflito.

Feltman disse que a situação está aparentemente calma desde 18 de fevereiro.

Situação Humanitária

O diretor de operações do Escritório das Nações Unidas de Assistência Humanitária, Ocha, também falou ao Conselho de Segurança nesta sexta-feira sobre a situação na Ucrânia.

John Ging afirmou que há um ano não havia deslocados na Ucrânia. No momento, como resultado do conflito, há registro de 1,1 milhão de deslocados internos, mais de 100 mil deles no último mês.

Cinco milhões de pessoas em todo o país precisam de assistência humanitária, tanto em áreas controladas e não-controladas pelo governo. Aproximadamente 1,4 milhão de pessoas não tem acesso à assistência médica.

Cessar-fogo

Ging saudou o "Pacote de Medidas para a Implementação dos Acordos de Minsk", mas pediu a adesão de todos os lados do conflito ao cessar-fogo de 15 de fevereiro e a proteção de civis.

Ele afirmou que apesar do acesso limitado a áreas afetadas, até o final de 2014, organizações humanitárias forneceram kits de saúde para 2,6 milhões de pessoas, vacinas para 30 mil, comida para 100 mil e água limpa e saneamento para 100 mil deslocados.

Apesar destes esforços, Ging afirmou que as necessidades superam, em muito, a capacidade de resposta combinada da comunidade humanitária e do governo ucraniano. Ele disse que o financiamento adicional é urgente para atender às necessidades humanitárias imediatas das pessoas afetadas pelo conflito.

Leia Mais:

Mortos em conflito na Ucrânia chegam a 6 mil

Com ministros da Rússia e Ucrânia, Ban discute situação na região

ONU lança apelo de US$ 316 milhões para socorrer ucranianos

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031