Serry diz que segurança de Israel é importante para paz no Oriente Médio

Ouvir /

Coordenador especial da ONU para o Processo de Paz declarou que "perder de vista a paz entre israelenses, palestinos e o mundo árabe em geral, pode ser como colocar mais lenha nas fogueiras regionais; Robert Serry fez último pronunciamento no Conselho de Segurança antes de deixar o cargo.

Robert Serry no Conselho de Segurança. Foto: ONU/Devra Berkowitz

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O coordenador especial da ONU para o Processo de Paz do Oriente Médio, Robert Serry, afirmou que "perder de vista a paz entre israelenses, palestinos e o mundo árabe em geral, pode ser como colocar mais lenha nas fogueiras regionais".

Durante pronunciamento no Conselho de Segurança, esta quinta-feira, último antes de deixar o cargo, Serry disse que "a segurança de Israel deve ser seriamente tratada em qualquer acordo de paz".

Declarações

Sobre as eleições gerais em Israel, no dia 17, o coordenador especial da ONU afirmou que ficou muito preocupado com as declarações "de linha dura" feitas no final da campanha.

Ele mencionou, principalmente, comentários feitos pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu colocando dúvidas sobre o compromisso de Israel com a solução de dois Estados.

Serry pediu ao próximo governo israelense que "aproveite a oportunidade de um novo mandato para demonstrar rapidamente em palavras, e o mais importante, em ações, esse compromisso".

Ele mencionou que no início de março, o Conselho Central da Organização para a Liberação da Palestina decidiu "suspender todas as formas de coordenação de segurança com Israel".

Acordos de Oslo

Serry disse aos integrantes do Conselho de Segurança que "o fim da coordenação de segurança entre os dois lados pode ser o último prego no caixão dos Acordos de Oslo".

Ao mesmo tempo, o coordenador da ONU afirmou que ainda há tempo para que os dois lados parem com o ciclo de ações contra produtivas.

Ele afirmou que a decisão de Israel de reter, pelo terceiro mês, as receitas de impostos dos palestinos só aprofunda a crise financeira da Autoridade Palestina. O montante já ultrapassa os US$ 400 milhões, mais de R$ 1,2 bilhão.

Serry citou alguns sinais de progresso, como o Mecanismo de Reconstrução de Gaza, GRM. Atualmente, quase 80% dos abrigos danificados pelo conflito do ano passado já foram registrados e mais de 61 mil palestinos buscaram materiais de construção para reformar suas casas.

Além disso, mais de 40 projetos de reconstrução foram aprovados e cinco estão em andamento, incluindo um coordenado pelo Catar, que prevê a construção de mil casas populares.

Assentamentos

Segundo Robert Serry, a situação na Cisjordânia, inclusive em Jerusalém Oriental, continua tensa. Ele citou que as atividades de assentamentos também continuaram neste mês.

Mencionando dados da ONG israelense Peace Now, Serry informou que entre janeiro de 2008 e janeiro de 2014, a população dos assentamentos de colonos judeus na Cisjordânia aumentou 16%, chegando a 551 mil pessoas.

O coordenador especial da ONU disse que "as atividades de assentamento ilegais não podem ser conciliadas com o objetivo de uma solução negociada de dois Estados".

Ele declarou que "isso pode acabar com qualquer possibilidade de se alcançar um acordo de paz". Para Serry, as condições mínimas de confiança não podem ser restauradas sem que o novo governo israelense adote medidas concretas para congelar as atividades de assentamento.

Gaza

O coordenador citou que Gaza deve ser prioridade e quatro objetivos devem ser alcançados urgentemente.

Em primeiro, Serry afirmou que é necessário um cessar-fogo mais estável sob o controle do Governo Nacional de Consenso, que vai incluir o congelamento de todas as atividades militares por um período de três a cinco anos.

Serry disse que esse processo só poderá ser mantido se os palestinos seguirem no caminho da reconciliação, o que segundo ele, não aconteceu ainda.

Além disso, o coordenador declarou que todas as passagens de Gaza devem ser abertas para permitir o movimento de pessoas e produtos e, por fim, a comunidade internacional deve estar preparada para apoiar o Governo Nacional de Consenso política e financeiramente.

Serry deixou claro que a "paz é uma responsabilidade das partes em conflito, mas a realidade é que não se pode absolver as instituições internacionais de suas responsabilidades".

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031