ONU espera 20 mil pessoas na marcha do Dia Internacional da Mulher

Ouvir /

Caminhada de 2 km na região central de Manhattan está agendada para a tarde de domingo; evento da ONU Mulheres e da Prefeitura de Nova York terá a participação do secretário-geral Ban Ki-moon e de ativistas.

Trajeto da marcha em NYC. Imagem: ONU Mulheres

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Para celebrar o Dia Internacional da Mulher, neste 8 de março, a ONU Mulheres e a Prefeitura de Nova York organizam, na tarde de domingo, uma marcha em prol da igualdade de gênero.

A caminhada de quase 2 km começa na Praça Dag Hammarskjold, ao lado da sede das Nações Unidas, região central da ilha de Manhattan. Os participantes seguirão até a Times Square, um dos principais pontos turísticos da cidade.

Futuro

O assessor da diretoria da ONU Mulheres, Julien Pellaux, revelou à Rádio ONU que são esperadas milhares de pessoas no evento.

"A gente está esperando mais de 20 mil pessoas de Nova York, mas também do mundo todo, então realmente é um grande encontro, um grande momento. O nosso objetivo com a ONU Mulheres é ter uma mensagem forte de que a igualdade de gênero tem de ser atingida até 2030. Nesses próximos 15 anos, a gente tem que ver muito mais progressos do que vimos nos últimos 20 anos. Então essa marcha vai ser um momento simbólico, para mostrar a unidade do mundo todo para os direitos das mulheres."

Pequim

Julien Pellaux lembra que as Nações Unidas celebram também os 20 anos da Declaração de Pequim, documento assinado durante conferência na capital chinesa. O assessor da ONU Mulheres afirma que o encontro de 1995 foi o maior já realizado sobre os direitos das mulheres e por isso, a comunidade internacional avalia agora os avanços das últimas duas décadas.

A Marcha do Dia Internacional da Mulher começa as 14h, hora local em Nova York, com a participação da diretora da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, do secretário-geral Ban Ki-moon, da primeira-dama da cidade, Chirlane McCray, líderes e ativistas dos direitos das mulheres.

Emma Watson

Também no domingo, a embaixadora da Boa Vontade da ONU Mulheres, a atriz britânica Emma Watson, vai participar de uma conversa online com fãs via Facebook. Direto de Londres, Emma Watson irá responder a perguntas sobre igualdade de gênero e sobre a campanha HeForShe (ElePorEla), um movimento global da ONU que busca engajar homens e meninos na luta pela igualdade de gênero.

A conversa poderá ser acompanhada, ao vivo, pela página oficial da atriz no Facebook: www.facebook.com/emmawatson ou pelo site da ONU Mulheres.

E para marcar o Dia Internacional da Mulher, um grupo de especialistas da ONU sobre direitos humanos divulgou um comunicado afirmando que progressos alcançados no último século estão sob constante ameaça.

Saúde

O Grupo de Trabalho sobre Discriminação contra Mulheres destacou "sinais retrógados em nome da cultura, da religião e das tradições". Os especialistas notam que a discriminação contra as mulheres ainda existe nas esferas pública e privada e que "nenhum país do mundo atingiu completamente a igualdade feminina".

Sobre direitos de saúde, o grupo revelou que 50 mil mulheres morrem por ano devido a abortos inseguros e 5 milhões sofrem de problemas causados por serviços de saúde negligentes.

E segundo a Organização Internacional para Migrações, OIM, as mulheres representam metade dos 1 bilhão de migrantes do mundo e também metade dos 51 milhões de deslocados internos.

Leia também:

ONU inicia celebrações para marcar Dia Internacional da Mulher

Mulheres ganham em média 77% do salário dos homens

PMA: “Mulher no topo do mundo”

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031