OMS afirma que consumo de tabaco caiu no mundo

Ouvir /

Agência da ONU alerta que governos devem intensificar esforços para combater a indústria e proteger a saúde pública; Conferência em Abu Dhabi tem como foco controle do tabaco e doenças crônicas.

Foto: ONU

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, afirmou que o consumo de produtos derivados do tabaco caiu em todo o mundo e consequentemente houve um aumento do número de não fumantes.

A declaração consta do relatório Global da OMS sobre Tendências no uso de Tabaco, lançado esta quarta-feira na 16ª Conferência Mundial sobre Tabaco e Saúde, que está sendo realizada em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Tabaco e Doenças Crônicas

O encontro tem como foco o controle do tabaco e as doenças crônicas, como câncer, diabetes e doenças no coração e nos pulmões.

Apesar da redução, a agência da ONU disse que os governos devem intensificar os esforços para combater a indústria do tabaco e reduzir drasticamente o consumo para proteger a saúde pública.

Segundo o relatório, em 2010 o número de não fumantes com 15 anos ou mais, era de 3,9 bilhões, aproximadamente 78% da população mundial nesta faixa etária.

A OMS calcula que esse número deve subir para 5 bilhões, ou 81% da população projetada para 2025, se a atual tendência permanecer a mesma até lá.

Movimento Global

A chefe do Secretariado da Convenção Quadro para o Controle do Tabaco, Vera Luíza da Costa e Silva, disse que "o movimento global contra a epidemia do tabaco é forte e os índices de queda no consumo comprovam esse fato".

A médica da OMS disse que os países estão avançando, mas muito ainda precisa ser feito para se alcançar a meta de cortar em 30% o consumo dos produtos derivados do tabaco nos próximos 10 anos.

O estudo revela que o índice de homens fumantes caiu em 125 países entre 2000 e 2012, no caso das mulheres, a queda foi registrada em 156 nações. A agência explica que seguindo o padrão atual, somente 37 países vão atingir a meta de redução de 30%.

Chave

O relatório mostra ainda que o controle sobre os produtos derivados do tabaco é uma das chaves para combater as doenças crônicas.

O último relatório da agência sobre o problema mostrou que 38 milhões de pessoas morreram de doenças crônicas no mundo em 2012, quase 75% delas em países de baixa e média rendas.

O tabaco é responsável por 10% desse total e os especialistas afirmam que metade dos fumantes atuais vai morrer dos efeitos do consumo do tabaco, isso representa cerca de 6 milhões de pessoas por ano.

Além disso, o relatório citou um aumento no número de mortes prematuras, quer dizer, pessoas que morrem antes dos 70 anos, que passou de 14,6 milhões em 2000 para 16 milhões em 2012.

A OMS diz que essas fatalidades poderiam ter sido evitadas combatendo quatro fatores de risco, que são: alimentação inadequada, sedentarismo e o consumo nocivo e exagerado de bebidas alcoólicas e de tabaco.

Leia Mais:

Tratado global sobre controle do tabaco completa 10 anos com alguns avanços"

Por ano, doenças crônicas causam 16 milhões de mortes prematuras

Doenças relacionadas ao tabaco causam 6 milhões de mortes ao ano

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031