Guiné-Bissau confia em êxito no frente a frente com doadores em Bruxelas

Ouvir /

Primeiro-ministro disse que guineenses querem momento de viragem, coesão e unidade; cerca de 45 representantes guineenses seguem para conferência de 25 de março; evento envolve mais de 200 convidados.

Domingos Simões Pereira já deixou Bissau. Foto: Amatijane Candé.

Amatijane Candé, da Rádio ONU em Bissau.

O primeiro-ministro da Guiné-Bissau disse que deixava o país confiante no êxito do encontro com doadores denominado Mesa Redonda de Bruxelas, a decorrer a 25 deste mês.

Milhares de guineenses despediram-se da comitiva de Domingos Simões Pereira na sua partida de Bissau nesta sexta-feira.

Momento de Viragem

Falando à Rádio ONU, na capital do país, o chefe do governo guineense disse tratar-se simplesmente de uma mesa redonda que “o povo pretende transformar num momento de viragem, coesão e unidade”.

“Nos últimos 15 a 20 anos a Guiné-Bissau passou por um período muito dif‰cil, o que levou à desmobilização de importantes parcerias internacionais. Se essas parcerias se renovarem e se ativarem, nós já teremos um ganho muito importante. Logo a seguir, temos um ambicioso programa de desenvolvimento que vamos apresentar aos nossos parceiros e que contamos que colha a sua anuência, confirmação e disponibilidade para financiamento.” 

O primeiro-ministro aponta ainda o facto de a mobilização “sem precedentes” em torno desses esforços ser um indicador encorajante.

Visão Estratégica

Na mala, a comitiva de 45 elementos leva a visão estratégica de desenvolvimento da Guiné-Bissau, um documento elaborado graças ao apoio técnico do Sistema das Nações Unidas com outros parceiros de desenvolvimento.

O plano será partilhado com os doadores internacionais para efeito de financiamento, na conferência onde são esperados cerca 240 convidados.

Expectativas

O Movimento Nacional da Sociedade Civil, que congrega centenas de organizações, esteve no Aeroporto Internacional Osvaldo Vieira de Bissau.

O presidente da entidade da sociedade civil, Jorge Gomes, disse que o objetivo era encorajar ao governo nesta missão.

“Centenas de projetos a serem levados aos parceiros de desenvolvimento confluem todas as áreas em que as organizações da sociedade civil guineense trabalham. Que esta mesa redonda seja coroada de sucessos e que o país herde e, por fim, comece uma nova era de paz e prosperidade.”

Na delegação está também o deputado Victor Mandinga que disse à Rádio ONU que tais expectativas não podem ser defraudadas pela Comunidade Internacional.

Motivação

“Este povo necessita de apoio urgente porque em casa em que não há pão, todo o mundo ralha e ninguém tem razão.” 

No evento devem participar vários chefes de Estado da África Ocidental, segundo Simões Pereira que, entretanto, preferiu não avançar nomes enquanto “decorrem as diligências”.

Antes de deixar o país, Domingos Simões Pereira encontrou-se com o presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, que deve seguir para Bruxelas nesta segunda-feira.

Leia Mais: 

Guiné-Bissau quer apoio a iniciativas para mulher na mesa redonda de Bruxelas

Vice-chefe do Pnud fala sobre desenvolvimento na Guiné-Bissau


Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031