Ban Ki-moon: "sustentabilidade começa em Sendai"

Ouvir /

Secretário-geral fez declaração durante abertura da Terceira Conferência Mundial sobre Redução do Risco de Desastres, no Japão; chefe da ONU afirmou ser preciso ajudar as populações "mais pobres e vulneráveis", mas que a questão é assunto de todos.

Secretário-geral Ban Ki-moon e primeiro-ministro do Japão Shinzō Abe em Sendai, Japão. Foto: ONU/Debebe

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

"Esta é a primeira parada na jornada para um novo futuro". Foi o que afirmou o secretário-geral da ONU durante a abertura da Terceira Conferência Mundial sobre Redução do Risco de Desastres, neste sábado.

Ban Ki-moon declarou ainda que "sustentabilidade começa em Sendai", em referência à cidade no Japão onde acontece o encontro.

Vidas Salvas

A cidade de Sendai fica na região de Tohoku, que sofreu os maiores danos por causa do terremoto e da tsunami que levaram à explosão da usina nuclear Fukushima Daichi, em 2011.

Segundo Ban Ki-moon, o acordo firmado em Hyogo, também no Japão, há uma década, salvou "milhares de vidas".

Ele afirmou ser preciso responder às "crescentes" demandas do mundo empoderando pessoas, apoiando comunidades e usando recursos para cumprir promessas.

Ban disse ser necessário, especialmente, ajudar as populações mais pobres e vulneráveis.

Baixa Renda

O secretário-geral afirmou que nove em cada 10 vítimas fatais de desastres estão em países de renda baixa ou média.

Ban disse que estes Estados precisam de atenção especial, mas que a "redução do risco de desastres é do interesse de todos".

Ele afirmou ainda que em uma "economia globalizada, o mundo está menor do que nunca" citando que "um terremoto em um país, afeta mercados financeiros em outro".

Clima 

O chefe da ONU declarou que "mudança climática está intensificando os riscos para milhões de pessoas, particularmente em pequenos Estados insulares em desenvolvimento e em regiões de litoral".

Ban mencionou o ciclone tropical Pam, que, no momento, representa uma ameaça a Vanuatu e países vizinhos no Pacífico.

Ele afirmou que a "redução do risco de desastres está na linha de frente da defesa contra os impactos das mudanças climáticas".

Danos

Segundo o secretário-geral da ONU, investimentos de US$ 6 bilhões, o equivalente a R$ 18,7 bilhões, no setor de redução de risco de desastres resultariam numa economia de US$ 360 bilhões até 2030.

Ele afirmou ainda que danos causados por desastres anualmente ultrapassam os US$ 300 bilhões, o equivalente a R$ 958 bilhões.

Ban disse que a "verdadeira resiliência vem de laços fortes entre países e comunidades" e que a ONU está "comprometida em fortaceler estes laços" com um Plano de Ação conjunto.

Ele declarou ainda que a "melhor homenagem possível" às vítimas de desastres é fazer com que a conferência em Sendai seja bem sucedida.

Leia mais:

Conferência sobre risco de desastres é chave para agenda de desenvolvimento

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 6 MIN, 17 DE AGOSTO DE 2017
JORNAL DA ONU - 6 MIN, 17 DE AGOSTO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

agosto 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031