Acnur: preocupação com "piora" da situação humanitária no leste da Ucrânia

Ouvir /

Apreensão é particularmente com áreas não controladas pelo governo; agência da ONU para refugiados entregou ajuda em duas áreas em Luhansk.

Ucranianos recebem assistência do Acnur. Foto; Acnur/A.McConnell

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, está "extremamente preocupado" com a piora da situação humanitária no leste da Ucrânia, particularmente em áreas não controladas pelo governo do país.

Segundo a agência, a falta de acesso a benefícios e serviços anteriormente fornecidos pelas autoridades centrais, piorou drasticamente a difícil situação da população civil. Isto foi agravado ainda mais por restrições a movimentação de pessoas e mercadorias.

Bombardeios

As condições em Donetsk e Luhansk são particularmente difíceis, com o abastecimento de água e eletricidade constantemente interrompido por bombardeios e ataques por foguetes.

Ainda há relatos de fortes bombardeios resultando na morte de civis, especialmente próximo à cidade de Debaltseve, onde houve intensos confrontos em fevereiro.

Os combates tornam muito difícil a entrega de assistência humanitária a muitos civis presos em áreas de conflito. A escassez de suprimentos básicos, incluindo alimentos, combustível e medicamentos causou o aumento dos preços dos itens disponíveis.

O Acnur também menciona o problema das baixas temperaturas para pessoas que vivem em casas danificadas ou abrigos.

Liberdade de Movimento

Segundo a agência, a liberdade de movimento é uma questão e civis estão constantemente presos na zona de conflito.

Apesar dos riscos de segurança, o Acnur e parceiros entregaram assistência não-alimentar para alguns dos civis que mais precisam, incluindo em áreas sob bombardeio frequente.

Deslocados e Refugiados

Pela primeira vez, a agência entregou ajuda a duas áreas em Luhansk até então inacessíveis para agências humanitárias, Novopskov e Markivka. De acordo com autoridades locais, cerca de 30% dos deslocados internos nessas áreas receberam assistência.

O número de deslocados pelo conflito na Ucrânia chegou a 1,1 milhão. Até o momento, mais de 674 mil ucranianos buscaram asilo, residência ou outras formas de permanência legal em países vizinhos, incluindo 542,8 mil na Rússia e 80,7 mil na Bielorússia.

Leia Mais:

Subsecretário-geral cita possível envio de missão de paz para Ucrânia

Mortos em conflito na Ucrânia chegam a 6 mil

ONU lança apelo de US$ 316 milhões para socorrer ucranianos

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031