OMS quer mais investimentos para combater doenças tropicais

Ouvir /

Doença de Chagas, dengue e raiva fazem parte do grupo de enfermidades que afetam 1,5 bilhão de pessoas pobres; para diminuir os casos, a agência da ONU calcula serem necessários US$ 3 bilhões por ano até 2020.

Foto: ONU

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, lançou esta quinta-feira um relatório sobre Doenças Tropicais Negligenciadas, DTNs. O grupo de 17 enfermidades inclui Doença de Chagas, leishmaniose, hanseníase, conhecida como lepra, dengue e raiva.

Elas são chamadas de negligenciadas porque afetam principalmente populações mais pobres, que vivem em áreas rurais remotas ou zonas de conflito nos países em desenvolvimento. Cerca de 1,5 bilhão de pessoas são afetadas.

Brasil

A Rádio ONU ouviu o especialista em Doença de Chagas dentro da Organização Mundial da Saúde. De Genebra, Pedro Viñas falou sobre a situação no Brasil.

"Sendo um dos principais países em dengue, um dos três que mais tem Doença de Chagas, o segundo país em hanseníase, etc. Mas é um país que junto aos outros países do Brics tem um papel importantíssimo nisso. Todos os países têm como implementar uma agenda específica de alto impacto."

Investimento Financeiro

E é exatamente neste sentido que a OMS está pedindo mais investimentos dos países em desenvolvimento,de apenas 0,1% das despesas domésticas em saúde.

O plano da OMS tem duas fases. A primeira, de agora até 2020, envolve investir US$ 3 bilhões por ano no controle de agentes vetores, medidas de saneamento para prevenir casos e entrega de medicamentos aos pacientes.

A segunda fase, de 2020 até 2030, envolve investimentos de US$ 1,6 bilhão por ano e segundo a OMS, os valores continuam a cair conforme as doenças tropicais negligenciadas forem reduzidas ou eliminadas.

Se os investimentos forem feitos, a agência acredita que número de pacientes possa diminuir para 200 milhões de casos até 2030.

Ao lançar o relatório, a OMS afirmou que a cobertura universal de saúde até 2030 não será alcançada caso os países falhem em mobilizar dinheiro para o combate e tratamento das DTNs.

Riscos

A OMS explica também que as infecções são causadas por água não-potável e por condições ruins de higiene e de saneamento. Algumas doenças tropicais negligenciadas podem matar, como a raiva, ou causar deficiências físicas.

São 149 países afetados pelas DTNs e segundo a OMS, a cegueira dos rios está sendo eliminada nas Américas, com a interrupção das transmissões na Colômbia e no Equador; já Bangladesh e Nepal devem eliminar a leishmaniose até o final deste ano.

Leia também:

OMS pede ao Brasil mais vigilância para evitar transmissão de sarampo

OMS busca ampliar tratamento de epilepsia, que afeta 50 milhões

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031