Para representante da ONU, situação no Líbano é "extremamente delicada"

Ouvir /

José Fischel é consultor jurídico da Agência das Nações Unidas para Refugiados, Acnur; país decide restringir acesso de civis da Síria e pedir visto de entrada; atualmente, um terço da população do Líbano é de refugiados.

Líbano vai restringir a entrada de sírios no país. Foto: Acnur/N. Colt

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A Agência das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, começa o ano de 2015 preocupada com a situação dos sírios que tentam fugir do conflito no país, que já dura quase quatro anos.

Segundo agências de notícias, o Líbano anunciou esta segunda-feira que vai restringir a entrada de sírios no país, que vão precisar a partir de agora de um visto.

Comparação

Sobre o assunto, a Rádio ONU ouviu o consultor jurídico do Acnur. De Paris, José Fischel explicou que a situação do Líbano é "extremamente delicada", porque um terço da população é formada por refugiados.

"É um país que tem uma população de 4 milhões de habitantes e só registrados, são 1,2 milhão de refugiados. É como se no Brasil, onde temos hoje uma população de 200 milhões de habitantes, chegassem 70 milhões de refugiados. Ou seja, é inconcebível, e é isso que nós temos hoje no Líbano."

Fronteiras

Fischel explica que o Líbano tem duas importantes preocupações, sendo que uma delas é continuar oferecendo proteção à população da Síria.

"A preocupação humanitária naturalmente é manter suas fronteiras abertas aos refugiados sírios. Não podemos negar que o Líbano também tem uma preocupação securitária legítima. O controle das suas fronteiras é um direito que deriva da soberania libanesa. E o Acnur, naturalmente está aberto a apoiar o Líbano para que no exercício de seus direitos soberanos, os refugiados sírios possam ser protegidos."

Mais Apoio

O consultor do Acnur lembra que Turquia, Jordânia e Egito são outros países da região que já receberam milhões de sírios que fugiram do conflito. O representante do Acnur elogia o Brasil, por ter concedido vistos humanitários a milhares de civis da Síria.

Na Europa, Fischel informa que 60 mil sírios chegaram ao continente, mas a perspectiva do Acnur é que até 2016, este número dobre. A agência da ONU tenta sensibilizar autoridades de vários países para que recebam os refugiados da Síria, que segundo ele, constituem uma das maiores crises humanitárias da última década.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031