Conselho de Segurança debate situação no Oriente Médio

Ouvir /

Secretário-geral assistente para Assuntos Políticos falou sobre situação entre israelenses e palestinos; Jens Anders afirmou que nenhum dos dois lados adotou as medidas necessárias para retomada das negociações de paz.

Reunião nesta quinta-feira no Conselho de Segurança. Foto: ONU/Mark Garten

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Conselho de Segurança da ONU se reuniu esta quinta-feira para debater a situação no Oriente Médio.

O secretário-geral assistente para Assuntos Políticos, Jens Anders, falou aos países membros sobre o processo de paz entre israelenses e palestinos.

Apreensão

Anders disse que "o ano começa com um sentimento crescente de apreensão em relação à direção que está sendo tomada na região.

Ele explicou que nem israelenses nem palestinos adotaram até agora as medidas necessárias para reverter a desconfiança entre os dois lados. O secretário-geral assistente disse que "todos estão testemunhando acontecimentos que podem, infelizmente, reduzir a probabilidade da retomada das negociações (de paz) no futuro".

Anders afirmou que a ONU continua empenhada em fazer o possível para facilitar a solução dos problemas, mas ao mesmo tempo, as partes envolvidas devem estar engajadas nesse processo.

Ele disse que o secretário-geral, Ban Ki-moon, está preocupado com israelenses e palestinos adotando ações que podem piorar ainda mais a situação. Ban pediu aos dois lados que evitem decisões que possam aumentar ainda mais as diferenças.

O chefe da ONU disse ainda que a comunidade internacional deve assumir sua responsabilidade de desempenhar um papel eficaz que leve israelenses e palestinos à criação de dois Estados independentes e vivendo lado a lado em segurança e de uma paz duradora.

Fracasso

O representante palestino, embaixador Riyad Mansour, afirmou que voltou ao Conselho de Segurança depois de o órgão ter fracassado no cumprimento de seus deveres para ajudar na solução do conflito entre Israel e a Autoridade Palestina.

Mansour afirmou que apesar disso "os palestinos estão determinados a seguir o caminho pacífico, político e diplomático para alcançar os direitos inalienáveis de seu povo e também as aspirações nacionais legítimas de se chegar a um acordo de paz justo, duradouro e compreensivo".

Reconciliação

Já o representante de Israel, o embaixador Ron Prosor, disse que seu país tem lutado para defender seus valores desde sua criação. Segundo ele, os líderes palestinos não querem buscar reconciliação.

Prosor afirmou que "os palestinos não vão negociar, não vão reconhecer Israel como nação e não vão negociar a paz".

O embaixador disse aos países membros do Conselho de Segurança que os israelenses estão empenhados em alcançar a paz

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031