Unicef apoia plano para ter "crianças a dedicar-se à escola e não a buscar água"

Ouvir /

Melhor distribuição do recurso em três distritos levou entidades internacionais à província moçambicana de Inhambane; saneamento também ocupou agenda dos parceiros do governo às vilas de Homoíne, Jangamo e Morrumbene.

Foto: Unicef Moçambique

Ouri Pota, da Rádio ONU em Maputo.

Uma série de materiais foi entregue a três das vilas moçambicanas para criar condições favoráveis para os seus habitantes. O Fundo da ONU para a Infância, Unicef, comparticipa com €1 milhão dos €10 milhões da iniciativa.

Grande parte do montante é financiado pela União Europeia, no âmbito do programa de Abastecimento de Água, Saneamento e Higiene, Aguasani. Os distritos visados são Homoíne, Jangamo e Morrumbene na província de Inhambane.

Distâncias

Para o ministro-conselheiro e chefe da delegação em Moçambique da Cooperação da União Europeia, Enrico Strampelli, o financiamento ao programa Aguasani visa reduzir distâncias percorridas em busca de água.

"Evidentemente, todos nós sabemos que o problema de buscar água é problema muito grande. Vamos ver se conseguimos trazer uma solução e se a população percebe que há soluções na busca de água, diariamente, sem percorrer de 5 a 10 quilómetros na busca da agua. Vamos demonstrar que há possíveis soluções para isso e que as crianças e as mulheres dediquem mais tempo para a escola, assim como as mulheres se dediquem com outras coisas que não seja ir buscar água."

Direitos

Em declarações a jornalistas, em Inhambane, o representante adjunto do Unicef, Michel Le Pechoux, disse que o acesso à água e ao saneamento condigno têm uma relação com os direitos da criança.

"O saneamento é fundamental para desenvolvimento físico da criança mas também intelectual. Criança desnutrida não vai poder desenvolver seu potencial intelectual, isto quer dizer que para o futuro do pais estamos a perder recursos humanos fundamentais, então o saneamento é fundamental para reduzir a desnutrição crónica, a desnutrição crónica é fundamental para assegurar os direitos das crianças, os direitos das crianças são fundamental para o futuro do país".

Saneamento

No âmbito da reunião, a diretora do Hospital de Jangamo, Ana Rafael falou da importância do saneamento e fez os pedidos aos parceiros com vista a um atendimento aos doentes.

"Precisamos de uma incineradora para tratamento final do lixo hospitalar. Temos a maternidade com casas de banho para a mulher pós-parto, temos a casa espera ao lado da maternidade e temos a medicina que também tem pacientes que  precisa de sanitários para poderem usar quando estiverem na enfermaria, mas como de momento temos problema de água usamos o balde."

A Estratégia Nacional de Água e Saneamento Urbano 2011-2015 indica que vilas com entre 2 mil e 50 mil habitantes devem representar cerca de 15% da população urbana moçambicana no próximo ano.

De acordo com o Ministério das Obras Públicas e Habitação, o número é equivalente a quase 2 milhões de pessoas.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031