Número de mulheres cruzando Mediterrâneo subiu em 2014, diz OIM

Ouvir /

Muitas teriam sido vítimas de abuso;  agência aponta para aumento de 300% na chegada de jovens nigerianas; Itália registou chegada  de mais de 154 mil mulheres este ano.

Aumento de mulheres a cruzar o Mediterrâneo. Foto: OIM

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Segundo o chefe da Organização Internacional para Migrações, OIM, na Itália "em 2014, houve um aumento alarmante no número de mulheres chegando,  cerca de 16,8 mil em comparação a mais de 7,6 mil em 2013".

Federico Soda mencionou ter notado um aumento de mais de 300% na chegada de jovens nigerianas neste ano, em comparação com o mesmo período no ano passado.

Migrantes

Segundo a OIM, apesar das condições "cada vez mais perigosas" do mar, migrantes irregulares continuam a cruzar o Mediterrâneo.

O total de chegadas à Itália neste ano é de mais de 154 mil, de acordo com dados recentes do Ministério do Interior.

O número de migrantes chegando ao país europeu pelo mar em outubro foi mais de 15 mil, uma queda de 40% dos mais de 26 mil que chegaram em setembro.

Tráfico

O órgão afirma que apesar do declínio, há uma presença crescente de mulheres, muitas consideradas vítimas em potencial de tráfico.

A OIM estabeleceu duas equipas na Itália com objetivo de detectar e identificar vítimas de exploração. A iniciativa tem o apoio no Ministério do Interior do país e da Comissão Europeia.

De acordo com os especialistas em combate ao tráfico do órgão, muitas mulheres confirmaram ter sido enviadas à Itália como trabalhadoras sexuais. Em alguns casos, seus testemunhos levaram à prisão de seus suportos traficantes.  Há também relatos de estupro.

Federico Soda afirmou que muitas das mulheres foram para bordéis na Líbia e depois enviadas ao país europeu por traficantes. O chefe da OIM na Itália disse ainda que muitas tiveram que "jurar em uma cerimônia de vodu que pagariam de volta o dinheiro da viagem, uma manipulação psicológica que às vezes torna difícil persuadí-las de que não precisam pagar seus exploradores".

Síria

A Síria permanece o país que mais envia migrantes, com mais de 36 mil em 2014. Em seguida estão Eritreia, Mali, Nigéria, Gâmbia, Palestina e Somália.

A OIM menciona que o aumento no número de palestinianos foi "notável".

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 13 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 13 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031