Em Roma, países pedem criação da Década de Ação sobre Nutrição

Ouvir /

Sugestão foi feita à Assembleia Geral da ONU pelos ministros reunidos em conferência de alto nível; adotado plano de ação com 60 medidas para reverter as várias faces da malnutrição: fome, falta de nutrientes e obesidade.

Medidas para uma nutrição adequada. Foto: FAO/M. Cusack

Leda Letra, enviada especial da Rádio ONU a Roma.*

Ministros da Saúde e da Agricultura de mais de 170 países adotaram esta quarta-feira a Declaração de Roma sobre Nutrição. No documento, os governos firmam o compromisso de garantir a todos o acesso à alimentos com os nutrientes necessários para uma vida saudável.

Na abertura da Segunda Conferência Internacional sobre Nutrição, foi aprovado ainda o Quadro de Ação, um conjunto de 60 medidas que podem ser implementadas pelos países para reverter as três consequências da nutrição inadequada: fome, falta de nutrientes e obesidade.

Agricultura e Educação

O plano traz recomendações de políticas nacionais que podem ser implementadas em vários setores: nutrição, saúde, agricultura, educação, desenvolvimento e investimentos.

Em Roma, a Rádio ONU ouviu o ministro da Saúde do Brasil sobre como o conjunto de ações poderá afetar a vida dos brasileiros.  O país saiu do mapa da fome, mas Arthur Chioro ressaltou que a preocupação agora é combater a obesidade.

Sedentarismo

"A experiência mundial diz e o Brasil é o exemplo disso, de que muito rapidamente, o desafio da desnutrição e da fome é superado pelo sobrepeso e da obesidade como um grande problema de saúde pública. Acabamos de aprovar uma nova política de promoção da saúde que tem dois eixos: a alimentação saudável e a questão do enfrentamento do sedentarismo. Cerca de 52% da população brasileira tem sobrepeso, então neste sentido, as políticas de alimentação saudável vem sendo desenvolvidas para que a gente possa enfrentar (os desafios)."

De acordo com o ministro da Saúde, Arthur Chioro, 18% dos brasileiros estão obesos. O documento adotado em Roma traz quatro recomendações de combate à obesidade, incluindo regulação do mercado de alimentos e de bebidas não-alcóolicas e promoção de atividades físicas.

Adaptação

Outro país de língua portuguesa que apoia as medidas é a Guiné-Bissau. O secretário de Estado da Segurança Alimentar do país, Filipe Quessangue, afirma que o governo deve adaptar as medidas para a realidade dos guineenses.

"A coisa que mais preocupa a Guiné-Bissau é a insegurança alimentar. Obviamente, a desnutrição. O governo da Guiné-Bissau inaugurou estratégias. Temos o Programa Nacional de Investimento Agrícola e todos esses documentos aprovados refletem aquilo que é o programa do governo. E o governo da Guiné-Bissau vai adotar, vai ajustar esse quadro de ações que se acabou de aprovar."

Na abertura da Segunda Conferência Internacional sobre Nutrição, os países também recomendaram à Assembleia Geral da ONU que crie a Década de Ação sobre Nutrição, entre os anos de 2016 e 2025.

O evento de alto nível é organizado pela FAO e pela Organização Mundial da Saúde, OMS.

*Apoio Institucional: FAO/Roma.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031