Conflito na Ucrânia domina encontro entre Ban Ki-moon e Dmitri Medvedev

Ouvir /

Secretário-geral revelou-se apreensivo com efeitos da situação nas relações entre a Rússia com a Europa e os Estados Unidos; reunião ocorreu na capital de Mianmar.

Ban Ki-moon. Foto: ONU/Evan Schneider

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, e o primeiro-ministro da Rússia, Dmitri Medvedev, discutiram esta quinta-feira o conflito na Ucrânia à margem da Cimeira do Sudeste Asiático na capital de Mianmar, Nay Pyi Taw.

Ban expressou a sua grande preocupação com a situação atual e o seu impacto sobre as relações entre a Rússia e Europa além do país com os Estados Unidos.

Leste da Ucrânia

De acordo com agências de notícias, a Organização do Tratado do Atlântico Norte, Nato, pediu à Rússia para retirar as suas forças de território ucraniano, que teriam entrado esta semana.  A Rússia negou o envio de tropas para o leste da Ucrânia.

No encontro, Ban também declarou que a Rússia deve usar a sua considerável influência para ajudar  a acalmar  situação no sudeste do da Ucrânia, e trazer o país de volta a um caminho de paz e estabilidade.

Protocolo de Minsk

A nota refere que o chefe da ONU destacou a sua posição de que todas as partes devem assegurar a implementação total do Protocolo de Minsk. O documento assinado em setembro prevê o cessar-fogo entre as partes em conflito na Ucrânia.

No encontro que também abordou a agenda de desenvolvimento pós-2015 e as alterações climáticas, Ban Ki-moon agradeceu a Medvedev pelo papel da Rússia na resposta ao surto de ébola.

Governo

Entretanto, a ONU anunciou para breve uma  deslocação do sub-secretário-geral para Assuntos Políticos, Jeffrey Feltman, para a Ucrânia,  após a formação do novo Governo.

Falando ao Conselho de Segurança, nesta quarta-feira, o secretário-geral assistente para os Assuntos Políticos  disse que as hostilidades nos últimos dias colocam o cessar-fogo acordado há dois meses “sob tensão contínua e grave”.

Reformas

Quanto à formação do novo executivo, a expectativa de Jens Anders Toyberg-Frandzen  é que a coligação vencedora possa permitir a “rápida implementação das reformas políticas, jurídicas e económicas abrangentes para as quais as autoridades ucranianas se haviam comprometido”.

Toyberg-Frandzen  alertou para a possibilidade de um retorno aos combates em grande escala, apesar das expectativas geradas pelas recentes eleições parlamentares. O conflito ucraniano provocou cerca de 1 milhão de deslocados.

As Nações Unidas disseram que continuam a apoiar os desabrigados tanto dentro da Ucrânia como nos países vizinhos.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031