Aiea discute riscos de contaminação química e bacteriana nos alimentos

Ouvir /

Agência fala de proteger aos consumidores; para realçar importância de controlo, especialista recorreu ao exemplo de produtos recentemente retirados do mercado como carne bovina adulterada com carne de cavalo.

Foto: FAO

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Mais de 350 especialistas de 100 países discutem, até esta quinta-feira, temas que incluem o uso de técnicas nucleares para tornar os alimentos mais seguros e a deteção da contaminação e da fraude alimentar.

A sede da Agência Internacional de Energia Atómica, Aiea, em Viena, acolhe o encontro internacional que também aborda a questão de rótulos inadequados colocados de forma propositada em produtos alimentares.

Consumidores

O chefe do Laboratório de Alimentos e Proteção Ambiental da Aiea, na cidade austríaca de Seibersdorf, apontou para o aumento a necessidade de técnicas confiáveis. Andrew Cannavan justificou a medida com a intenção de proteger aos consumidores, à margem do encontro iniciado esta segunda-feira.

A Aiea disse que com isótopos estáveis como hidrogénio, oxigénio e carbono em vários alimentos, os cientistas podem determinar a origem e conteúdo de um produto alimentar. Um dos exemplos mencionados é o do sumo de laranja, no qual pode ser definido se este contém apenas o fruto.

Carne Bovina

O responsável explicou que para reforçar  essa necessidade estão exemplos de alimentos recentemente retirados do mercado, como produtos de carne bovina adulterada com carne de cavalo.

Foram igualmente mencionados os casos de falsificação de melamina, de antibióticos, de produtos contaminados por dioxinas além de casos de bactérias nocivas em alimentos frescos.

Comércio

A Aiea considera fundamental determinar a integridade da cadeia de abastecimento alimentar para garantir a sua segurança e qualidade, bem como proteger o consumidor e o comércio a nível nacional e internacional.

Para a agência, o uso de técnicas nucleares pode ajudar a enfrentar o conjunto de desafios mencionados e outros relacionados com a mudança climática e a necessidade de alimentar uma população em crescimento.

O recurso a técnicas também é apontado como útil para determinar pequenas quantidades de pesticidas ou outros produtos químicos nos alimentos. O outro aspeto é a segurança garantida pela irradiação, que os pode manter os alimentos frescos por mais tempo e proteger contra parasitas.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031