Relatora da ONU disse que é importante preparação para evitar falta d'água

Ouvir /

Catarina de Albuquerque falou sobre relatório sobre situação no Brasil apresentado em setembro; ela afirmou "ser fundamental em tempo de abundância planejar e preparar para tempos de escassez".

Foto: Banco Mundial/Eric Miller

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A relatora independente da ONU para o Direito à Água e ao Saneamento, Catarina de Albuquerque, afirmou "ser importante os países e governos se prepararem para evitar a falta d'água".

Em entrevista à Rádio ONU, esta quinta-feira, aqui em Nova York, Albuquerque falou sobre o relatório que apresentou sobre sua visita ao Brasil, no ano passado.

Fundamental

"Aquilo que eu disse na altura, eu digo agora e é o que digo relativamente a qualquer país que tenha problemas de escassez de água. É fundamental em tempo de abundância planejar e prepararmos para tempos de escassez, tempos de escassez de água, de recursos. Tem que se investir em infraestruturas, e tem que se muito claramente ter um quadro normativo e político que permita estabelecer que em tempo de escassez, a prioridade é para as pessoas."

A relatora independente da ONU citou também o problema da falta d'água em São Paulo.

"É o que eu digo também no caso de São Paulo. Era importante ter havido mais planejamento, mais investimento em infraestruturas, sendo certo que essa crise hídrica foi além de qualquer previsão. Mas a verdade é que com as alterações climáticas nós estamos fazendo face cada vez mais a eventos climatéricos extremos, vamos da seca para as inundações."

Detroit

Catarina de Albuquerque falou sobre sua visita aos Estados Unidos, especificamente à cidade de Detroit, onde recomendou às autoridades que restabeleçam o fornecimento de água para as famílias mais pobres.

Segundo ela, 40% da população vive abaixo da linha da pobreza e muitos estão desempregados e por isso não podem pagar a conta d'água.

Em pronunciamento a 3ª Comissão da ONU, a relatora citou o processo de participação da população em questões ligadas a decisões importantes adotadas pelos governos.

Livro

Ela disse que os países devem incentivar essa participação popular. Para Albuquerque, os programas implementados pelos governos têm melhores resultados quando as pessoas são ouvidas.

A relatora lançou essa semana um livro que serve como um manual sobre os direitos à água e ao saneamento. Ele cita exemplos de temas de boas práticas de vários países e de obstáculos enfrentados nesses processos.

Catarina de Albuquerque disse que a obra tenta ser mais ativa e interativa com o objetivo de desmistificar o que é o direito humano à água e dar dicas concretas para a implementação desse direito.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 8 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 8 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031