Médica reforça que transmissão de ebola se dá por contato com fluídos

Ouvir /

Afirmação foi feita pela coordenadora da rede de informação em português da agência da ONU, Regina Ungerer; melhor forma de evitar infecção é não ter contato com doentes.

Foto: FAO

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Mundial da Saúde diz que, em nível geral, "o risco de uma rápida propagação do ebola existe, mas é difícil".

A afirmação foi feita pela médica e coordenadora da rede de informação em português da OMS, Regina Ungerer, em entrevista à Rádio ONU, de Genebra.

Notícias

Ungerer disse que as últimas notícias sobre a doença são promissoras, com a Organização Mundial da Saúde declarando Senegal e Nigéria livres do surto.

"Mas é verdade que os três países mais atingidos: Guiné, Libéria e Serra Leoa, estão em fase de profusão e disseminação do vírus. Isso é grave porque são países com menos recursos, países empobrecidos, países que têm sistemas de saúde mais enfraquecidos e consequentemente mais difícil de controlar. A OMS está muito preocupada com os países vizinhos."

A médica fez questão de reforçar a gravidade da doença.

"O fato é que uma doença muito grave, uma doença que se conhece pouco e esse é o maior surto que já existiu desde que a doença apareceu pela primeira vez, em 1976. Portanto, é quase como se fosse uma crise nova. E o grande risco do ebola é porque em 90% dos casos, não existe vacina nem tratamento por enquanto, podem levar à morte. Mas esta crise em particular, a taxa de mortalidade está entre 50% e 60%, o que é uma coisa boa."

Espirro

Regina Ungerer falou também sobre a possibilidade de contaminação através de um espirro ou da tosse de uma pessoa com a doença.

Infográfico: OMS/Rede ePortuguese – Regina Ungerer

"Mas se você está do lado de uma pessoa que espirrou em cima de você, você recebe aquelas gotículas da saliva daquela pessoa. Então, você pode se contaminar. Você respira, (e o vírus) entra na sua mucosa, ou você tem um corte na pele e ele espirrou no seu braço e você entrou em contato com aquela saliva. Não é porque transmitiu o vírus pelo ar, mas porque você entrou em contato direto com a secreção da pessoa. Que fique bem claro."

Na opinião da médica, a forma mais fácil de evitar a contaminação é não ter contato com nenhum doente. Mas ela citou a importância da higiene pessoal, lavando sempre as mãos.

Apesar de toda a preocupação, Ungerer afirmou que "não é tão simples assim pegar o ebola".

Segundo ela, a própria OMS não acredita que a doença tenha atingido seu pico, "mas o surto está mais ou menos contido nos países da África Ocidental".

Até agora, o ebola já contaminou mais de 9,2 mil pessoas e matou mais de 4,5 mil.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031