Funcionário da ONU Mulheres morre após contrair ébola em Serra Leoa

Ouvir /

Cônjuge da vítima está atualmente a receber tratamento e organização garante tomar todas as medidas para proteger seu pessoal no país; Nações Unidas elogiam Cuba por apoio na resposta ao ébola.

Foto: Irin/Tommy Trenchard

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque. 

Um funcionário da ONU Mulheres morreu em Serra Leoa após contrair o ébola. Segundo o porta-voz do secretário-geral, o cônjuge está atualmente a receber tratamento.

Em Nova Iorque, Stephane Dujarric garantiu que as Nações Unidas estão a tomar todas as medidas para proteger seu pessoal no terreno. Dujarric informou que o funcionário era motorista da ONU Mulheres e tinha um contrato local com a agência.

Isolamento

As ações incluem descontaminação da clínica da ONU em Serra Leoa, remoção do centro de isolamento e rastreio das pessoas que tiveram contacto com a vítima.

Sobre doações financeiras, o fundo criado pelo secretário-geral tem US$ 8,8 milhões em depósitos e foram prometidos mais US$ 5 milhões. No total, Ban Ki-moon pediu US$ 43,5 milhões para a resposta ao ébola.

Cuba

Também esta segunda-feira, representantes da Aliança Bolivariana para os Povos das Nossas Américas estão reunidos em Havana, capital de Cuba, em um encontro sobre prevenção e resposta ao ébola.

Na reunião, o enviado especial do secretário-geral para o assunto destacou que o surto é um problema global, que pede cooperação e solidariedade.

Apoio Médico

David Nabarro apelou aos países da região que "sigam a liderança de Cuba e Venezuela" que segundo o enviado, estão a dar um bom exemplo sobre a rápida resposta no apoio aos esforços para conter o vírus.

O governo cubano enviou 165 médicos para África Ocidental em julho e Nabarro agradece os planos do país de mandar mais profissionais de saúde para a região. 

Sobre a Venezuela, o enviado destacou a contribuição de US$ 5 milhões para o Fundo da ONU de Resposta ao Ébola. Nabarro afirmou que o vírus não é mais uma emergência local de saúde pública, devido aos impactos económicos, humanitários, políticos e de segurança.

Livre do Vírus

Ainda esta segunda-feira, a Organização Mundial da Saúde, OMS, declarou que a Nigéria está livre da transmissão do ébola. O país completou 42 dias sem registar nenhum caso, o dobro do período de incubação, que é de 21 dias. Recentemente, o Senegal também foi declarado livre do vírus.

Já o Programa Mundial de Alimentação, PMA, vai receber da China uma doação de US$ 6 milhões para operações de emergência de combate ao ébola na Guiné-Conacri, Libéria e Serra Leoa.

Cerca de 1,3 milhão de pessoas devem ser beneficiadas com a entrega de alimentos, como arroz, lentilhas e cereais.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031