FAO diz que países se uniram na luta contra a má nutrição global

Ouvir /

Diretor-geral da agência saudou acordo sobre a Declaração e o Quadro de Ação que vai ser adotado na Conferência sobre Nutrição; José Graziano da Silva declarou que reunião pode ter um papel importante na promoção da segurança alimentar.

Foto: FAO/Christena Dowsett

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, José Graziano da Silva, elogiou o acordo fechado entre países, esta segunda-feira, para combater a má nutrição.

Graziano da Silva explicou que os representantes dos países-membros da FAO e da Organização Mundial da Saúde chegaram a um consenso sobre uma declaração e um Quadro de Ação voluntário, com mais de 50 recomendações.

Mensagem

O chefe da FAO disse que o documento envia uma forte mensagem mostrando que o mundo está levando a sério a nutrição das pessoas.

Ele afirmou que a declaração e o Quadro de Ação serão adotados na 2ª Conferência Internacional sobre Nutrição, Icn2, que vai acontecer em Roma entre 19 e 21 de novembro.

Para Graziano da Silva, o encontro pode ter um papel importante na promoção da segurança alimentar e da nutrição.

Famintos

A FAO calcula que 805 milhões de pessoas no mundo passam fome e metade da população mundial sofre de alguma forma de má nutrição, aproximadamente 3,5 bilhões de homens, mulheres e crianças.

No documento, os países reconhecem que a má nutrição em todas as suas formas, que inclui também desnutrição, sobrepeso e obesidade, afeta não só a saúde e o bem estar das pessoas.

Segundo os especialistas, ela também tem consequências econômicas e sociais negativas a todos.

A agência da ONU disse que os representantes se comprometeram a erradicar a fome, evitar todas as formas de má nutrição e aumentar os investimentos para intervenções eficazes e ações que melhorem a dieta e a nutrição da população.

Pobreza

A declaração afirma que a pobreza, o subdesenvolvimento e o baixo status socioeconômico são os principais responsáveis pela má nutrição em áreas urbanas e rurais.

O documento deixa claro que cabe ao governo a responsabilidade primária de atacar a desnutrição.

A FAO informa que a má nutrição é a causa de aproximadamente metade das mortes de crianças com menos de cinco anos no mundo. Isso representa mais de 3 milhões de óbitos por ano.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031