Ébola: FAO lança programa para assistir 90 mil famílias vulneráveis

Ouvir /

Serão beneficiados moradores da Libéria, Serra Leoa e Guiné Conacri, numa iniciativa com vista a diminuir os impactos económicos causados pelo surto; OMS diz que risco do vírus se espalhar pela Europa é baixo.

Iniciativa deve beneficiar 90 mil familias. Foto: FAO

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, lançou nesta quarta-feira uma iniciativa que deve beneficiar 90 mil famílias vulneráveis na Libéria, Serra Leoa e Guiné Conacri.

A agência da ONU está a pedir US$ 30 milhões para levar adiante o programa nos próximos 12 meses. Segundo a FAO, serão assistidas famílias que têm tido a sua renda e as suas fontes de alimento ameaçadas devido aos impactos económicos causados pelo surto de ébola.

Segurança Alimentar

O Programa Regional de Resposta para a África Ocidental vai ampliar ações da FAO que já estão a ser realizadas por governos, parceiros da ONU e trabalhadores agrícolas, florestais e veterinários.

Um dos objetivos é ajudar a conter o vírus e garantir à população segurança alimentar a médio prazo e aumentar a renda e a produção agrícola. Até o momento, o ébola matou 3,4 mil pessoas, entre mais de 7,4 mil infectados.

Impactos

Numa avaliação feita pela FAO na Serra Leoa, 47% das pessoas que participaram da pesquisa afirmaram que o ébola está a prejudicar as suas atividades agrícolas.

Já no condado de Lofa, região rural da Libéria, o preço das commodities cresceu entre 30% e 75% apenas no mês de agosto.

Europa

Também esta quarta-feira, a Organização Mundial da Saúde, OMS, afirmou que o risco do vírus ébola se espalhar pela Europa é "extremamente baixo e evitável".

A declaração foi feita pela diretora regional da OMS no continente, Zsuzsanna Jakab. Segundo a representante, casos esporádicos registados na Europa foram "inevitáveis" devido a viagens entre a região e países afectados.

Recentemente, a Espanha notificou a OMS sobre uma enfermeira confirmada com ébola após tratar um paciente que contraiu o vírus na Serra Leoa.

Preparo

A diretora da agência na Europa destacou que países europeus estão entre os mais preparados no mundo para responder à febre hemorrágica viral, incluindo o ébola.

Segundo Jakab, há risco de contaminação acidental no caso de exposição a um paciente com o vírus, que deve ser mitigado com medidas rigorosas de controlo.

A especialista da OMS afirmou que todos os países têm os países têm protocolos e procedimentos a ser implementados quando há um caso suspeito e que a agência, "como sempre, está pronta a fornecer ajuda e apoio".

*Apresentação: Denise Costa.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 8 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 8 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031