Gases de efeito de estufa registam recorde de quase 20 anos, diz OMM

Ouvir /

Concentração de dióxido de carbono na atmosfera atingiu 396  partículas por milhão no ano passado; efeito do aquecimento sobre o clima subiu 34% entre 2012 e 2013.

Gases de efeito estufa na atmosfera. Foto: OMM

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O ano passado registou um novo recorde da quantidade de gases de efeito estufa na atmosfera, informou esta terça-feira a Organização Meteorológica Mundial, OMM.

A agência da ONU explica que o resultado deveu-se ao aumento nos níveis de dióxido de carbono, CO2. Em 2013, a concentração global do gás carbónico na atmosfera atingiu 396 partículas por milhão.

Aumento Constante 

A subida observada entre 2012 e 2013 foi maior do que qualquer outro ano desde 1984. De acordo com dados preliminares, a razão da subida teria sido a redução da absorção de CO2 pela biosfera terrestre, além do aumento constante nas emissões do gás carbónico.

A agência explica que os dados do boletim referem-se às concentrações atmosféricas, que representam o que permanece no espaço após complexas interações entre a atmosfera, a biosfera e os oceanos. Cerca de um quarto das emissões totais é absorvida pelos oceanos e o outro quarto pela biosfera, o que reduz a quantidade de CO2 atmosférico.

A agência explica, entretanto, que a publicação não fornece dados sobre as emissões de gases poluentes, que representam a quantidade que sobe para a atmosfera.

A informação consta do Boletim de Gases de Efeito de Estufa, emitido anualmente pela OMM. A publicação realça a urgência quanto à necessidade de uma ação internacional concertada contra a aceleração e as potencialmente arrasadoras mudanças climáticas.

Aquecimento

Entre 1990 e 2013, o efeito do aquecimento sobre o clima, conhecido por perturbação radiativa, subiu 34%. Por detrás do fenómeno estiveram os gases de efeito estufa de vida longa como o dióxido de carbono, o metano e óxido nitroso.

A OMM toma como referência o ano de 1750, a era pré-industrial, ao comparar os níveis dos três elementos na atmosfera. No ano passado, a concentração de CO2 foi de 142% em relação a esse período, enquanto o metano registou 253% e o óxido nitroso 121%.

Acidificação de Oceanos 

A OMM alerta também que a atual taxa de acidificação dos oceanos não tem precedentes, pelo menos ao longo dos últimos 300 milhões anos. Diariamente, os oceanos absorvem cerca de 4 kg de CO2 por pessoa.

O secretário-geral da agência, Michel Jarraud, disse que o boletim fornece informação para para a tomada de decisões. Ele aponta que as provas da atmosfera e dos oceanos sublinham a necessidade de uma ação política urgente.

Cimeira

O responsável diz haver conhecimento e instrumentos de ação à disposição com vista a tentar manter o aumento da temperatura a 2º C, para que o planeta e as próximas gerações possam ter um futuro.

Neste 23 de setembro, líderes políticos reúnem-se em Nova Iorque numa Cimeira do Clima convocada pelo secretário-geral das Nações Unidas.

Na segunda-feira, Ban Ki-moon manifestou a expectativa de que a reunião seja marcada por negociações para aconter o aumento da temperatura abaixo dos 2º C .

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031