Chefe da nova missão da ONU para combater ébola chega a Gana

Ouvir /

Anthony Banbury desembarcou no país africano na manhã desta segunda-feira; agência das Nações Unidas para agricultura, FAO, junta-se a ações globais com foco na doença e outras enfermidades infecciosas.

Foto: Irin/Tommy Trenchard

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Uma equipa da Missão da ONU para a Resposta de Emergência ao Ébola, Unmeer, na sigla em inglês, chegou nesta segunda-feira a Gana.

O grupo é liderado pelo representante especial do secretário-geral e chefe da Unmeer, Anthony Banbury.

Animais

Da capital, Acra, a missão segue para Guiné, Libéria e Serra Leoa, os países mais afetados pelo surto.

Na sexta-feira, o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, José Graziano da Silva, destacou a necessidade de controle à saúde de animais.

Isto seria para a ajudar a frear a transmissão de ébola e outras doenças infecciosas perigosas a humanos.

Graziano da Silva juntou-se a líderes da Organização Mundial da Saúde, OMS, da Organização Mundial para Saúde dos Animais, e representantes de mais de 40 países, num evento ocorrido na Casa Branca na sexta-feira, 26 de setembro.

Impacto

O chefe da FAO reiterou o compromisso da agência, junto com as demais entidades, em apoiar países no combate a ameaças à saúde provenientes de animais.

O presidente dos Estados Unidos falou sobre importância de lidar com os surtos de doenças contagiosas coletivamente. Barack Obama destacou que num mundo profundamente interconectado, os surtos têm o potencial de impactar todos os países.

A Agenda Global sobre Segurança na Saúde, iniciada pelo governo dos Estados Unidos, é uma parceria internacional para fortalecer sistemas de saúde. O objetivo é prevenir, detectar e responder a ameaças emergentes de doenças.

Segundo a FAO, estima-se que 70% das novas doenças contagiosas que surgiram em humanos nas últimas décadas tenham origem animal, principalmente selvagem.

Prevenção

O diretor-geral da agência afirmou que ao focar em prevenção, os países podem minimizar o número de mortes de pessoas quando uma doença passa de animais para humanos, e assim, fica mais difícil de ser administrada. Este seria um fato ilustrado pelo atual surto de ébola na África Ocidental.

Graziano da Silva expressou "grande preocupação" com o possível impacto desta epidemia na "segurança alimentar e subsistências das comunidades afetadas, com o potencial se causar insegurança alimentar de longo prazo" na região.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031