Chefe da Aiea faz apelo ao governo do Irã por maior cooperação

Ouvir /

Segundo Yukiya Amano, país já deveria ter apresentado novas propostas de colaboração; diretor da Agência Internacional de Energia Atômica diz que situação na Coreia do Norte continua muito preocupante.

Yukiya Amano discursa em Viena. Foto: AIEA/Dean Calma

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea, falou esta segunda-feira aos países membros, numa reunião em Viena, na Áustria. A situação no Irã, na Síria e na Coreia do Norte foi destaque do discurso de Yukiya Amano.

A agência continua verificando a diversidade de material nuclear declarado pelo Irã.

Garantias

Mas segundo Amano, não é possível fornecer garantia segura da ausência desse material e de atividades não-declaradas pelo governo. Por isso, ele disse não ser possível concluir que todo material nuclear produzido pelo Irã tem fins pacíficos.

No mês passado, o chefe da Aiea esteve em Teerã para encontros com o presidente Hassan Rouhani e outros integrantes do governo. Amano ressaltou a importância do país implementar a Rede para Cooperação.

Ele afirmou que o país já implantou três das cinco medidas previstas no acordo, sendo que algumas começaram a valer após o prazo de 25 de agosto.

Prazo

A Aiea também pediu ao governo iraniano que indicasse novas medidas até 2 de setembro, mas o país ainda precisa apresentar as propostas. No discurso, Yukiya Amano afirmou que para resolver "todas as questões pendentes do passado e do presente, é muito importante que o Irã continue a implementar as medidas da Rede para Cooperação".

Para continuar monitorando as atividades nucleares do país, a agência precisa de um recurso adicional de 1 milhão de euros, ou R$ 3 milhões, sendo que até agora recebeu apenas 300 mil euros.

Síria e Coreia do Norte

Sobre a Síria, Amano lembrou ter alertado em 2011 que um prédio destruído em Dair Alzour poderia ter abrigado um reator nuclear não-declarado à Aiea. Desde então, nenhuma nova informação surgiu sobre o caso e o chefe da agência apela à Síria que coopere de forma integral para que todas essas questões sejam resolvidas.

O programa nuclear da Coreia do Norte "continua sendo motivo de grande preocupação". Amano citou declarações do governo que confirmam a intenção de continuar conduzindo testes nucleares e reabrir as instalações em Yongbyon.

Reatores no Mundo

Para o chefe da Aiea, essas medidas "são profundamente lamentáveis" e violam claramente as resoluções do Conselho de Segurança.
Amano fez um apelo à Coreia do Norte por maior cooperação com a agência.

Segundo ele, 437 reatores de energia nuclear estão em operação em 30 países e outros 70 estão em construção. As últimas projeções da agência mostram crescimento do uso de energia nuclear até 2030, mas numa velocidade mais lenta do que a esperada. A nova projeção diz que o setor pode crescer entre 8 e 88%.

No discurso, Yukiya Amano disse que no geral, continuam os progressos para melhorar a segurança nuclear no mundo. Ele anunciou que a próxima Conferência Internacional da Aiea sobre Segurança Nuclear está agendada para dezembro de 2016.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031