Representante das Nações Unidas pede cessar-fogo duradouro em Gaza

Ouvir /

Coordenador especial da ONU para o Processo de Paz no Oriente Médio falou em reunião regular do Conselho de Segurança na manhã desta segunda-feira; pausa temporária termina à meia noite, horário do Egito.

Robert Serry. Foto: ONU/Loey Felipe

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York*.  

Na manhã desta segunda-feira, o Conselho de Segurança das Nações Unidas fez uma reunião regular sobre o Oriente Médio. O coordenador especial da ONU para o Processo de Paz na região falou ao órgão sobre o assunto.

Robert Serry abordou a situação entre israelenses e palestinos com ênfase em Gaza.

Negociações

Ele mencionou que o cessar-fogo temporário entre Israel e Gaza termina nesta segunda-feira às cinco horas da tarde, horário de Nova York. Delegações israelenses e palestinas estão no Cairo em reuniões com autoridades egípcias.

Segundo o coordenador especial da ONU, as "esperanças da população de Gaza para um futuro melhor e as do povo de Israel para segurança sustentável estão nestas negociações". Ele apelou às delegações que "façam jus a esta responsabilidade".

O representante das Nações Unidas apelou aos lados que cheguem a um entendimento sobre um cessar-fogo duradouro que também aborde as questões de base envolvendo Gaza. Ele disse que "no mínimo", espera que o cessar-fogo seja estendido e a situação permaneça tranquila.

Números

De acordo com Serry, quase 2 mil palestinos foram mortos incluindo 459 crianças e 239 mulheres. Ele disse ainda que, deste total, mais de dois terços eram civis. Cerca de 10 mil palestinos foram feridos. Serry lembrou que este é o terceiro conflito nos últimos seis anos.

O coordenador especial das Nações Unidas também mencionou que, segundo relatos, 64 soldados das Forças de Defesa de Israel, dois civis israelenses e um estrangeiro foram mortos. E que algumas dezenas de israelenses foram diretamente feridos por foguetes ou estilhaços.

Ele disse estar convicto que Gaza não pode ficar na condição em que estava antes da última escalada de violência e que a equação básica deve ser "pôr fim ao bloqueio em Gaza e abordar as preocupações legítimas de Israel quanto à segurança".

Reconstrução

Segundo Serry, reconstrução em Gaza é prioridade, mas a avaliação sobre as necessidades para isso ainda não estão completas. Ele mencionou que, há estimativas de que o volume será três vezes maior do que foi preciso em 2009.

Ele disse ainda que o envolvimento da comunidade de doadores será "indispensável" e que apoiou o anúncio da Noruega e do Egito de organizarem conjuntamente uma conferência sobre o assunto após um acordo de cessar-fogo duradouro.

O representante disse que Gaza precisa no momento de "casas, hospitais e escolas e não foguetes, túneis e conflito".

Unrwa

O coordenador especial da ONU mencionou que em três ocasiões, escolas da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados Palestinos, Unrwa, que estavam sendo usadas como abrigo, foram atingidas.

Os incidentes causaram a morte de 38 pessoas e 317 ficaram feridas. 11 funcionários da agência foram mortos durante o conflito.

Serry mencionou o aumento das tensões e violência também na Cisjordânia. Ele defendeu a solução de dois estados para a questão.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 8 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 8 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031