ONU vai abrir corredor humanitário no Iraque

Ouvir /

Anúncio foi feito esta sexta-feira pelo representante do secretário-geral no país, Nickolay Mladenov; Organização Internacional para Migrações fala em 1 milhão de deslocados internos em todo o país.

Família iraquiana deslocada. Foto: Acnur/N. Colt

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O representante do secretário-geral no Iraque anunciou que o escritório da ONU no país está "preparando com urgência um corredor humanitário" para que os civis deixem áreas de risco.

Nickolay Mladenov disse esta sexta-feira que itens de ajuda humanitária estão sendo lançados à população por via aérea. O representante elogiou a cooperação entre os governos do Iraque e do Curdistão e comunidade internacional na "ajuda para prevenir o genocídio e lutar contra o terrorismo".

Deslocados

Para Mladenov, agora é o momento dos líderes políticos colocarem os interesses do Iraque à frente e pediu que o Conselho de Representantes finalize o processo de nomeação de um primeiro-ministro.

Segundo a Organização Internacional para Migrações, já são mais de 1 milhão de pessoas desalojadas em todo o Iraque, incluindo deslocados recentes pela crise em Ninewa.

O escritório da Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos divulgou uma nota sobre a situação no norte do Iraque, destacando "grande preocupação com as minorias mais vulneráveis".

Crimes contra a Humanidade

A equipe liderada por Navi Pillay cita os riscos para cristãos, yazidis e turcomenistãos. A preocupação maior é com a segurança física e a situação humanitária para um grande número de civis presos em áreas controladas pelo grupo Estado Islâmico, EI.

Segundo Pillay, ataques diretos contra civis devido a sua etnia, religião ou crença "podem ser crimes contra a humanidade". O escritório da alta comissária diz que o EI e outros grupos armados devem respeitar o direito internacional, incluindo a obrigação de proteger os civis.

Na noite de quinta-feira, o Conselho de Segurança condenou os ataques realizados pelo Estado Islâmico na província de Ninewa, incluindo Sinjar e Tal Afar.

O órgão expressou "ultraje" com as centenas de milhares de iraquianos, em especial yazidis e cristãos, que fugiram de suas casas e agora precisam urgentemente de assistência humanitária.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031