Conselho de Segurança decide aplicar sanções contra grupo Estado Islâmico

Ouvir /

Militantes serão submetidos às mesmas medidas aplicadas contra integrantes do Al-Qaeda; órgão condena, nos termos mais fortes, "atos terroristas do EI e sua ideologia extremista violenta"; resolução foi adotada por unanimidade.

Foto: ONU//Devra Berkowitz

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Foi aprovada por unanimidade, na tarde desta sexta-feira, em Nova York, uma resolução do Conselho de Segurança condenando nos termos mais fortes os "atos terroristas e a ideologia extremista violenta" praticada no Iraque pelo grupo Estado Islâmico, que era conhecido como Isil.

O documento condena também "assassinatos indiscriminados, atrocidades, execuções em massa, raptos e perseguições" contra civis, ações que têm levado milhares de pessoas a fugir da violência e ficarem desabrigadas.

Religião

A resolução lembra que ataques sistemáticos e diretos contra populações civis, baseados em sua etnia ou religião, podem ser crimes contra a humanidade.

O texto da resolução "reafirma que o terrorismo, incluindo ações do EI, não podem estar associadas com nenhuma religião, nacionalidade ou civilização".

O Conselho decidiu que o congelamento de bens, a proibição de viagens e o embargo de armas deve ser aplicado aos grupos Estado Islâmico e Frente Al Nusrah, ANF, "e a todos os indivíduos e grupos associados à rede Al-Qaeda".

Financiamento

O órgão observa que o Estado Islâmico e a ANF são uma ramificação da Al-Qaeda e por isso, foram incluídos na "lista de sanções" da rede. O órgão está pronto para listar "indivíduos, grupos e entidades que estão fornecendo financiamento e armas aos grupos", ou ajudando a recrutar combatentes.

É feito um apelo ao Estado Islâmico para que ponha um "fim à violência e a todos os atos terroristas" imediatamente. Aos países que integram a ONU, o Conselho de Segurança pede cooperação para que indivíduos associados à Al-Qaeda, ao EI e à ANF sejam levados à justiça.

Petróleo

As nações devem garantir também que esses grupos não recebam nenhum tipo de financiamento, direto ou indireto. O Conselho nota, com preocupação, "que campos de petróleo estão sendo controlados pelo EI" e assim, gerando renda para o grupo.

Também esta sexta-feira, o coordenador humanitário da ONU no Iraque encontrou-se com deslocados em Zakho, cidade que está abrigando 100 mil civis que fugiram da violência.

Crianças

O Programa Mundial de Alimentos, PMA, está fornecendo comida para 15 mil pessoas em Zakho. Já na província de Dohuk, 100 mil deslocados estão sendo beneficiados com a ajuda alimentar.

As crianças também estão recebendo assistência das agências da ONU. O Fundo para a Infância, Unicef, entregou 34 mil biscoitos energéticos para menores de cinco anos de idade e 30 caminhões da agência, com itens de emergência, já estão posicionados perto de áreas que abrigam os deslocados.

O Unicef também está oferecendo apoio para crianças deslocadas que foram separadas de suas famílias durante os conflitos.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031