Icao pode apoiar investigação do acidente do avião malaio se requisitada

Ouvir /

Agência revela que está a monitorizar relatos e coordena com todas as partes relevantes após queda do MH17 da Malásia Airlines; mortos incluem especialistas que seguiam para um encontro internacional sobre HIV/Sida na Austrália.

Logo Icao

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Organização da Aviação Civil Internacional, Icao, disse esta sexta-feira que está pronta para apoiar a investigação do acidente que envolveu a queda do avião da Malásia Airlines na Ucrânia se for solicitada.

Em comunicado, a agência anunciou que está a monitorizar os relatos e coordena com todas as partes relevantes. Pelo menos 298 pessoas morreram, esta quinta-feira, no aparelho que partiu da capital holandesa, Amesterdão, para Kuala Lumpur, na Malásia.

Espaço Aéreo

Após expressar condolências pela morte dos passageiros, a Icao disse ter emitido recentemente uma carta a advertir aos Estados e aos seus operadores aéreos sobre uma situação potencialmente insegura no espaço de informação aérea da região de Simferopol.

A situação deveu-se à "presença de mais de um provedor de serviços de tráfego aéreo" na área. Entretanto, a Icao declarou que a perda do MH17 decorreu fora da região de Simferopol.

Diretrizes

O Conselho de Segurança também expressou condolências às famílias dos falecidos e pediu uma investigação internacional completa e minuciosa do acidente de acordo com diretrizes da aviação civil.

Antes de um encontro para abordar o tema, o Conselho apelou a todas as partes do confito que permitam o acesso a investigadores, para determinar as causas do sinistro.

Encontro Internacional

Em reação à queda do voo, o Programa Conjunto da ONU sobre o HIV/Sida disse que apesar dos detalhes do que aconteceu não estarem claros, aparentemente morreram académicos, profissionais de saúde e ativistas.

Os especialistas e ativistas viajavam na aeronave a caminho da Conferência Internacional sobre a Sida a iniciar, neste domingo, na cidade australiana de Melbourne.

Vítimas

A Onusida confirmou a morte do professor Joep Lange devido à queda do aparelho. Ele é considerado um dos mais proeminentes cientistas da área. Antes, a Organização Mundial da Saúde ter anunciou que o jornalista britânico Glenn Thomas era uma das vítimas mortais.

A Organização Mundial do Turismo, OMT, também manifestou choque pelo acidente, tendo reiterado o apelo do secretário-geral da ONU no sentido de um apuramento internacional completo.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031