Unesco afirma que 58 milhões de crianças estão fora da escola no mundo

Ouvir /

Chefe da agência da ONU ressalta que não há nenhuma chance de os países alcançarem a meta de educação primária universal até 2015; relatório diz que no geral não houve muito progresso para reduzir número de menores entre seis e 11 anos que não frequentam colégio.

Direito à educação. Foto: Unesco

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, afirmou que 58 milhões de crianças entre seis e 11 anos não frequentam escola.

Segundo relatório da agência da ONU, não houve muito progresso na redução do número de menores que estão fora das salas de aula desde 2007. Isso se deve ao aumento da população na África Subsaariana, que abriga mais de 30 milhões dessas crianças.

Educação Universal

A diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, alertou que com essa falta de progresso não há chance nenhuma de os países alcançarem a meta de educação universal para educação primária até 2015.

Segundo ela, "o mundo deve soar o alarme e mobilizar os políticos para garantir que o direito à educação de cada criança seja respeitado".

Apesar de no geral a situação não ter mudado muito, o documento cita dados positivos em 17 países que conseguiram reduzir em quase 90%, em menos de uma década, a população infantil que não está nos colégios.

Moçambique

Moçambique foi um dos que conseguiu reduzir o índice de mais de 40% em 2000 para aproximadamente 10% em 2012. Na lista estão também Burundi, Gana, Irã, El Salvador, Guatemala e Nicarágua.

Os dados da Unesco mostram que a Nigéria é a nação com mais crianças fora da escola, 8,7 milhões, seguida do Paquistão, Sudão, Índia e Indonésia. Entre os países de língua portuguesa, Moçambique tem 700 mil e Angola 500 mil.

Na América Latina, a Colômbia tem 600 mil menores que não frequentam as salas de aula.

Tendência

O relatório preparado pelo Instituto de Estatísticas da Unesco citou ainda que se a tendência atual continuar, quase metade dos que não vão à escola dificilmente pisarão numa sala de aula no futuro.

Outro fator preocupante é o número de crianças que abandonam os estudos, que chegou a 13 milhões em 2012.

Além disso, a Unesco diz que o problema também é grave entre os adolescentes. Segundo o relatório, 63 milhões de jovens entre 12 e 15 anos em todo o mundo estavam fora dos colégios em 2012.

Os especialistas não negam que houve um grande avanço entre 2000 e 2012. O número de crianças fora da escola passou de 96,9 milhões para 62,9 milhões, mas a taxa estacionou basicamente desde 2007.

Políticas

Segundo a Unesco, muito ainda precisa ser feito, mas o relatório mostrou políticas implementadas por alguns países que ajudaram a diminuir o problema.

Entre as medidas estão o fim do pagamento de qualquer tipo de taxa ou cobrança feita pela escola e aplicação de um programa de ajuda financeira para que as famílias possam absorver os custos dos colégios.

O relatório cita ainda maior atenção dada às minorias étnicas e linguísticas e o aumento da verba para o setor de educação e para a qualidade de ensino até mesmo em áreas de conflito.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031