ONGs pedem mais fundos para fazer chegar ajuda humanitária ao Iraque

Ouvir /

OIM anunciou que precisa de US$ 15 milhões para apoiar deslocados que fugiram de Mossul; agências de notícias falam da tomada da cidade de Tal Afar; secretário-geral considera perturbadores relatos de execuções.

Ban Ki-moon. Foto: ONU

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Organização Internacional para Migrações, OIM, anunciou que precisa de US$ 15 milhões para distribuir itens não-alimentares e tendas, além de monitorizar as áreas afetadas pela violência no Iraque.

A informação foi dada esta segunda-feira, quando surgem relatos da tomada por milícias sunitas da cidade iraquiana de Tal Afar. As agências de notícias dizem ter recebido as informações de funcionários governamentais e moradores.

Mossul

De acordo com as informações dos media, as ações são levadas a cabo pelo movimento Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isis, que na semana passada capturou cidades como Mossul e Tikrit.

A OIM  disse que nos próximos dias vai continuar a distribuir artigos essenciais de urgência a famílias mais vulneráveis em Al-Shikhan, uma área do norte da cidade nortenha de Nínive que abriga famílias que deixaram as suas casas em Mossul.

Para as operações com os parceiros, a entidade da ONU quer fundos dos doadores para apoiar a resposta imediata ao rápido agravamento da situação humanitária. Mais de 250 kits familiares de emergência já foram entregues aos deslocados.

Justiça

No domingo, o secretário-geral das Nações Unidas considerou "profundamente perturbadores" os relatos de execuções sumárias em massa no Iraque.

Em nota, emitida pelo seu porta-voz,  Ban Ki-moon ressalta a urgência de levar os autores de tais crimes à justiça.

Execução

O apelo segue-se a imagens publicadas online alegadamente da responsabilidade de milícias sunitas que estariam a mostrar combatentes a massacrar soldados.

De acordo com as agências de notícias, as autoridades militares iraquianas consideram as imagens reais de elementos que estariam a ser levados e deitados em trincheiras, antes e após do que se considera a sua "execução".

Implicações Regionais

O chefe da ONU reitera a sua condenação à onda de violência recente levadas a cabo no Iraque pelas "mãos de grupos terroristas", incluindo o Isis.

Na nota, o secretário-geral alerta contra a retórica sectária pelo seu potencial de agravar ainda mais o conflito e resultar em graves implicações para toda a região.

Neste sentido, Ban saudou o que chamou de importante declaração de esclarecimento sobre a necessidade de unidade iraquiana. O pronunciamento foi feito por um clérigo do país. Para Ban, Sayed Ali Al-Sistani representa uma voz profundamente influente da sabedoria e da razão.

Represálias

A todos os líderes políticos, militares, religiosos e comunitários iraquianos, Ban apelou que garantam que os seguidores evitem atos de represálias.

Já para os líderes iraquianos, o pedido foi de união por um plano de segurança nacional inclusivo, bem como as medidas políticas e sociais para resolver ameaça substancial para o país com base na Constituição.

Para a comunidade internacional foi reiterada a união para demonstrar solidariedade com o Iraque para enfrentar o que chamou de desafio de segurança grave.

Violência

Para o país, Ban exige o pleno respeito do direito internacional humanitário e dos direitos humanos nos esforços para combater o terrorismo e a violência.

O secretário-geral manifesta ainda a prontidão da Missão das Nações Unidas para o Iraque, Unami, para  ajudar o Governo e o povo iraquiano para superar a crise.

*Apresentação: Denise Costa.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 8 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 8 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031