OIT: Previdência social ajuda pessoas com HIV a manter o emprego

Ouvir /

Estudo da Organização Internacional do Trabalho mostra que trabalhadores beneficiados têm maior acesso à terapia antirretroviral; análise foi feita em Guatemala, Indonésia, Ruanda e Ucrânia.

Proteção social garante acesso ao tratamento. Foto: Unaids

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Pessoas com HIV e acesso à proteção social têm maiores chances de se manterem no emprego, segundo um novo estudo da Organização Internacional do Trabalho, OIT.

A análise da agência da ONU foi baseada em casos da Guatemala, Indonésia, Ruanda e Ucrânia. Os países estão na lista de alto impacto de HIV e estão criando ou ampliando seus sistemas de previdência social.

Tratamento

Nas quatro nações, entre 63% e 95% das pessoas com Aids que têm sua proteção social respeitada conseguem manter-se no emprego ou realizar alguma atividade produtiva.

Mais da metade dos participantes do estudo relataram que seus filhos continuam frequentando a escola. A previdência social garante ainda acesso à terapia antirretroviral para 72% a 96% dos que responderam à pesquisa.

Discriminação

O estigma e a discriminação associados ao HIV ainda persistem. Quem trabalha na economia informal, em especial mulheres, trabalhadores do sexo e homossexuais, enfrenta desafios ainda maiores.

Segundo o estudo da OIT, é preciso garantir apoio para a subsistência e tratamentos de saúde para as pessoas com Aids, já que muitos gastam o próprio dinheiro em transporte para ir a centros de saúde, por exemplo.

A pesquisa sugere uma combinação de ajuda financeira, de renda e de saúde, como essencial para melhorar os impactos da previdência social nos trabalhadores com HIV.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031