Timor-Leste e Cabo Verde destacados na redução de mortalidade materna

Ouvir /

OMS aponta África Subsaariana como área de maior risco; relatório revela que mundo reduziu 45% de morte de mães entre 1990 e 2013.

Relatório indica descida nos casos de mortalidade materna. Foto: Unfpa

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque.*   

Timor-Leste e Cabo Verde estão entre os 11 países que conseguiram reduzir a mortalidade materna em 75%, após o registo de altos índices de óbitos durante a gestação em 1990.

O desempenho permitiu que estes estivessem na lista das nações que cumpriram os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio, ao lado dos africanos Ruanda e Guiné Equatorial.

Gravidez

A informação consta de um relatório divulgado esta terça-feira pela Organização Mundial da Saúde, OMS. O documento revela ainda uma redução na ordem de 45% nas mortes maternas a nível global, entre 1990 e 2013.

Cerca de 289 mil mulheres morreram devido a complicações na gravidez ou no parto no ano passado a contrastar com as 523 mil mortes de 1990. O número representa 33 mortes por hora no mundo inteiro.

Óbitos Anuais

Os africanos Nigéria, República Democrática do Congo, Etiópia, Tanzânia, Uganda e Quénia estão entre os 10 países responsáveis por 60% das mortes maternas. A lista é liderada pela Índia com 50 mil óbitos anuais da Indonésia.

As "Causas Globais da Morte Materna: Análise Sistemática da OMS", mostra que um em cada quatro óbitos foi causado por problemas médicos preexistentes. Entre eles estão a diabetes, o HIV, a malária e a obesidade.

A OMS alerta que a região da África Subsaariana ainda é a que sofre o maior risco de morte materna.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031