Afeganistão vai depender de doadores por tempo prolongado, diz FMI

Ouvir /

Despesas de segurança e de desenvolvimento são os principais motivos para a situação; economia do país cresceu 3,6% no ano passado.

Edifício do FMI em Washington. Foto: FMI

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Fundo Monetário Internacional, FMI, disse que o Afeganistão vai continuar a depender do financiamento de doadores por "um período prolongado."

As razões apontadas pelo órgão incluem as grandes necessidades para as despesas de segurança, de desenvolvimento e o que considera de capacidade limitada do país para gerar receitas internas.

Reformas

No ano passado, a economia afegã cresceu 3,6% e a inflação manteve-se na casa de um dígito ao atingir 5,6%. Em 2012, a expansão foi de 14% impulsionada pela colheita abundante.

Para o FMI, um crescimento durável e inclusivo carece do apoio dos doadores além de depender do equilíbrio macroeconómico, de reformas estruturais e da estabilidade nas áreas da política e segurança.

Confiança

O órgão aponta as incertezas políticas e de segurança aliadas à redução das tropas internacionais como fatores que afetaram a atividade económica nos últimos anos. As incertezas reduziram a confiança e desencorajaram o investimento privado detendo atividade económica.

Entre as recomendações ao país estão a criação de bases para a estabilidade macroeconómica e crescimento, a redução da pobreza e o alcance dos objetivos sociais e de desenvolvimento.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031