Relatório revela que mundo teve um homicídio a cada 90 segundos em 2012

Ouvir /

Segundo agência da ONU, oito em cada 10 vítimas de homicídios são homens; já as mulheres são em maioria vítimas de violência doméstica; no Rio de Janeiro, crimes sexuais em áreas controlodas por UPP subiram mais de 200%.

Vítimas são geralmente jovens

Quase 15% de todos os homicídios são causados por violência doméstica

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.*

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, alertou que 437 mil pessoas foram assassinadas no mundo em 2012. Isso representa uma morte a cada minuto e meio.

O Estudo Global sobre Homicídios 2013 foi lançado esta quinta-feira, em Londres.

Homens e Mulheres

O documento afirma que 80% das vítimas de homicídio e 95% dos agressores são homens. Segundo o Unodc, quase 15% de todos os homicídios são causados por violência doméstica, e as mulheres são as principais vítimas, com 43,6 mil mortes.

Outro dado do Estudo é que mais da metade das pessoas assassinadas têm menos de 30 anos.

As Américas e a África são os dois continentes com maior número de homicídios. A taxa média no mundo é de 6,2 por 100 mil habitantes.

Brasil

O Brasil, segundo o Estudo, tem um índice de homicídios de 25,2 em cada 100 mil habitantes, número considerado alto pelo Unodc, mas que estabilizou nos últimos tempos.

O documento cita que os assassinatos diminuíram no Rio e em São Paulo, 29% e 11% respectivamente entre 2007 e 2011. Mas a taxa subiu 150% na Paraíba e 50% na Bahia. Os Estados do norte e nordeste registraram as maiores altas.

A Unodc menciona a implementação das UPPs, Unidade de Polícia Pacificadora, no Rio de Janeiro como um dos avanços no combate aos homicídios.

O documento aponta para uma redução no número de assassinatos e roubos. Ao mesmo tempo, o Unodc cita um aumento dos crimes sexuais no mesmo período nas áreas controladas pelas UPPs em até 200%.

A explicação para essa alta poderia ser pelo aumento da confiança da população na polícia ou porque está havendo uma melhor coleta de dados.

Europa

O Estudo da agência da ONU diz ainda que as menores taxas de homicídios foram registradas nas regiões leste da Ásia e também sul e oeste da Europa.

Os homicídios ligados a gangues e organizações criminosas foram responsáveis por 30% de todos os assassinatos nas Américas em comparação a menos de 1% na Ásia, Europa e Oceania.

O documento diz ainda que as Américas apresentam níveis de homicídio cinco a oito vezes mais altos que a Europa e a Ásia desde 1950.

Na comparação sobre gênero, a taxa de homicídios envolvendo homens é quase quatro vezes maior do que a de mulheres. Mais uma vez, esse índice é mais alto nas Américas.

Condenações

O Estudo mostra ainda que enquanto os homens são, na maioria, mortos por desconhecidos; no caso das mulheres, quase metade é morta por um conhecido, amigo, parceiro ou familiares.

As causas dos assassinatos são diversas, mas o consumo de álcool ou de drogas é responsável por mais da metade dos homicídios. As armas de fogo são as mais utilizadas nos crimes, aproximadamente 40%.

A punição também varia de região para região. A média global é de 43 condenações para cada 100 homicídios. Nas Américas por exemplo, esse índice cai para apenas 24%, sobe para 48% na Ásia e chega a 81% na Europa.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031