Países vizinhos podem acolher mais 80% de centro-africanos

Ouvir /

Expectativa da comunidade humanitária é que crescimento seja verificado até ao fim do ano; entidades apontam fluxo de dezenas de milhares de muçulmanos, migrantes e refugiados a fugir de grupos armados.

Refugiados da República Centro-Africana. Foto: Acnur/P. Spiegal

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Um grupo de entidades humanitárias anunciou, esta terça-feira, que precisa de US$ 274 milhões para financiar as operações de resposta às necessidades dos centro-africanos nos países vizinhos.

Prevê-se que número de deslocados na região aumente para 362 mil, o que representa uma subida de 81% em relação aos atuais 200 mil.

Fardo Financeiro

Entre as 14 agências envolvidas no Plano de Resposta Regional, publicado em Genebra, está o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur.

A agência disse que os países vizinhos dispõem de recursos limitados, numa altura em que suportam um fardo financeiro cada vez mais pesado devido ao conflito centro-africano que se agravou em dezembro passado.

Destino

Entretanto, a Organização Internacional para Migrações, OIM, anunciou a contínua chegada de dezenas de milhares de muçulmanos, migrantes e refugiados que fogem de grupos armados na República Centro-Africana.

Os países de destino são o Chade, os Camarões, a República Democrática do Congo e a República do Congo.

Com equipas no Chade e nos Camarões, a agência regista relatos de recém-chegados em estado de desespero depois de terem vivido ao relento por longo tempo.

Muitos perderam os meios de subsistência e têm o seu acesso limitado à água potável, higiene e cuidados primários de saúde. A subsistência das famílias é graças à poupança que já está praticamente esgotada.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031