PMA quer evitar catástrofe humanitária na República Centro-Africana

Ouvir /

Agência da ONU afirma que o país precisa de ajuda urgente da comunidade internacional; autoridades disseram que com a continuidade da violência, dos deslocamentos internos e do quase colapso da economia a crise de alimentos está a piorar.

População precisa urgentemente de ajuda. Foto: PMA

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Programa Mundial de Alimentação, PMA, alertou esta sexta-feira que a República Centro-Africana precisa urgentemente de ajuda da comunidade internacional para evitar uma catástrofe humanitária.

Segundo a agência da ONU, com a continuidade da violência, dos deslocamentos internos e do quase colapso da economia, o país regista um agravamento da crise nutricional e alimentar.

Situação

O PMA anunciou que necessita de US$ 70 milhões para manter as operações além deste mês de março.

A expectativa das autoridades é que a situação venha a poirar já que a economia está em mau estado e o comércio e os transportes representam apenas uma fração do que eram anteriormente.

O PMA explica que a maioria da comunidade muçulmana, responsável pelo comércio, fugiu da República Centro-Africana desde o agravamento dos ataques em dezembro.

Impacto 

Além disso, o impacto da crise está a espalhar-se por toda a região. A diretora-executiva do PMA, Ertharin Cousin, disse que 296 mil refugiados centro-africanos estão abrigados em países vizinhos.

São 134 mil nos Camarões, 86 mil no Chade, 63 mil na República Democrática do Congo e outros 13 mil na República do Congo.

A agência da ONU diz que apesar da insegurança, conseguiu distribuir alimentos para 227 mil pessoas em fevereiro e a meta é atingir 300 mil pessoas este mês.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031