ONU vê melhorias na segurança em partes da República Centro-Africana

Ouvir /

Mas segundo equipa de cinco monitores de direitos humanos enviados ao país africano, situação em Boda, a 190 km da capital, ainda é crítica.

Situação precária nos últimos meses. Foto: Ocha/R. Gitau

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Direitos Humanos afirmou que a situação da segurança tem melhorado em algumas partes da República Centro-Africana.

A violência no país foi o tema de uma sessão do Conselho de Segurança, esta quinta-feira, em Nova Iorque, da qual participou o chefe da agência da ONU para refugiados, Acnur, António Guterres.

Intensidade

De acordo com uma equipa de cinco monitores de direitos humanos enviados à República Centro-Africana, a segurança melhorou em várias partes do país. Mas os especialistas continuam preocupados com a situação da cidade de Boda, localizada a 190 km da capital centro-africana.

O grupo informou que um grande número de civis cristãos e islâmicos estão a sofrer com a intensidade dos combates e tensões no local.

O porta-voz da ONU, Rupert Colville, disse que a cidade está dividida entre uma área muçulmana e outra não muçulmana. Mais de 11 mil civis islâmicos estão espalhados por quatro bairros e sob risco de ataques de indivíduos anti-Balaka, como são conhecidas as milícias cristãs. As duas áreas estão separadas por uma zona de segurança sob controlo de forças da França.

Combates

Colville concluíu ao anunciar que os civis cercados estão numa situação ainda pior, uma vez que não têm como sobreviver economicamente.

O porta-voz disse que há relatos de que os elementos anti-Balaka estariam a proibir a venda de comida para islâmicos. E os civis cristãos também estão a passar por uma situação precária nos últimos meses devido aos combates entre as duas partes.

Especialistas dizem que a comunidade muçulmana em Boda está melhor armada que em outras regiões devido à sua participação em atividades no comércio de ouro e diamante.

Mortes

Pelo menos 80 pessoas morreram e milhares de cristãos civis e outros não-islâmicos foram deslocados por causa dos combates em Boda.

Os deslocamentos estão a causar efeitos também para a saúde de crianças que morrem de malária ao fugirem para a mata.

No último dia 3, o Secretário-Geral da ONU pediu à comunidade internacional para reforçar a presença das forças de paz na República Centro-Africana com o envio de mais 10 mil homens e 1,8 mil polícias ao país.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 19 DE JANEIRO DE 2018
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 19 DE JANEIRO DE 2018
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

janeiro 2018
S T Q Q S S D
« dez    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031