FMI prevê acompanhar operações de empresa de atum em Moçambique

Ouvir /

Órgão quer avaliar riscos ligados ao novo projeto que envolve um empréstimo de US$ 850 milhões; grupo de especialistas considera que nova reforma eleitoral vai precisar de orçamento suplementar.

Operações de empresa para a pesca de atum devem ser monitoradas pelo FMI

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Fundo Monetário Internacional, FMI, afirmou que considera acompanhar de perto e informar sobre as operações da nova empresa pública moçambicana para a pesca de atum, denominada Ematum.

Após uma avaliação ao país, concluída esta quinta-feira, uma equipa do órgão disse que será fundamental avaliar os riscos fiscais associados ao projeto.

Crédito

O relatório do grupo reconhece os esforços recentes com vista à transparência das operações do projeto, que envolveu títulos de participação num crédito de US$ 850 milhões.

O FMI revela que a inclusão de US$ 350 milhões no orçamento das atividades fiscais da empresa para 2014 e o aumento do teto para as garantias do governo foram os primeiros passos importantes.

Crescimento

O desempenho económico do país foi considerado "muito forte", apesar das inundações do início do ano passado. O FMI prevê um crescimento do Produto Interno Bruto de 8% em 2014, 1% a mais que em 2013.

O resultado deve refletir ganhos a serem obtidos em áreas como mineração, construção, transportes e comunicações e serviços financeiros.

O país prevê realizar eleições gerais a 15 de outubro. O FMI disse que será necessário um orçamento suplementar para incluir gastos associados com a nova reforma eleitoral.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031