América Latina cresce 1,1% em número de mulheres no Parlamento

Ouvir /

Levantamento sobre desempenho em 2013 revela que Ruanda continua liderando a lista global com quase 64% de assentos ocupados por políticas.

Cresce número de mulheres nos parlamentos. Foto: União Interparlamentar

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

Uma pesquisa da União Interparlamentar indica que a América Latina registrou um aumento de 1,1% no número de mulheres eleitas para os parlamentos do país.

O estudo, divulgado nesta terça-feira, revela que Ruanda, no centro da África, lidera a lista de mulheres no Parlamento com quase 64% das cadeiras ocupadas por políticas.

Média Global

Em todo o mundo, o número de deputadas e senadoras subiu 1,5%. Caso esta tendência continue, a UIP estima que em 20 anos, possa haver paridade de gênero na política, que é ainda dominada pelo sexo masculino. As parlamentares representam 21,8% dos parlamentos de todo o globo. Esta média dobra para os países nórdicos.

Nas Américas, incluindo Estados Unidos e Canadá, mais de 25% dos assentos eleitos são de mulheres. O crescimento da região doi de 12,5% entre 1995 e 2003.

Em Cuba, no entanto, quase metade das cadeiras das câmaras de deputados e senados pertencem às mulheres. No Brasil, a média é de 8%. Já Argentina, Equador e Granada destinam um terço de seus assentos parlamentares às políticas do país.

O maior salto do ano passado foi dado nos países árabes. Na Arábia Saudita, num lance histórico, foram nomeadoas 30 mulheres para o Conselho Shura. O único país da região que tem somente homens nas duas casas é o Catar.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 19 DE JANEIRO DE 2018
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 19 DE JANEIRO DE 2018
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

janeiro 2018
S T Q Q S S D
« dez    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031