Unesco pede segurança após jornalistas morrerem no Iraque e Paquistão

Ouvir /

Diretora da agência condena assassinatos de quatro profissionais da mídia; Irina Bokova defende fim da impunidade para esses crimes e pede que autores sejam levados à justiça.

Segurança para jornalistas. Foto: ONU/Violaine Martin

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A diretora da Unesco, que é a agência da ONU com mandato para defender a liberdade de imprensa, condenou esta terça-feira o assassinato de quatro jornalistas de televisão, em incidentes separados no Paquistão e no Iraque.

Irina Bokova declarou que não pode continuar havendo impunidade nos casos de violência contra a mídia. A chefe da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, espera que os responsáveis sejam levados à justiça.

Mortes

Na cidade paquistanesa de Karachi, três funcionários da TV Express News morreram após um tiroteio contra a van em que eles estavam. Segundo a Unesco, um grupo extremista teria confessado a autoria do ataque.

Na semana passada, um repórter da TV Fallujah, no Iraque, foi assassinado em um ataque a bomba próximo a Ramadi, capital da província de Anbar. Um outro jornalista, da TV Al-Anbar, ficou ferido no atentado.

Devido a esses casos recentes, a diretora da Unesco, Irina Bokova, volta a pedir "ação imediata para melhorar a segurança dos jornalistas e profissionais da mídia".

Segundo Bokova, isso é parte essencial da proteção da liberdade de imprensa e de expressão.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 29 DE AGOSTO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 29 DE AGOSTO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

agosto 2014
S T Q Q S S D
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031