Brasil deve crescer abaixo da média latino-americana em 2014

Ouvir /

Previsão da Cepal é de 2,6%, puxados pela queda no consumo e desempenho modesto este ano; Comissão Econômica diz que em toda a região, o crescimento será de 3,2%.

Alicia Bárcena. Foto: Cepal/Carlos Vera

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A Comissão Econômica da ONU para América Latina e Caribe, Cepal, prevê crescimento médio de 3,2% para os países da região no ano que vem. A estimativa da Cepal foi divulgada esta quarta-feira, em Santiago, no Chile.

O Panamá deve liderar a corrida regional com 7%; no Brasil, a previsão é mais moderada: de 2,6%.

Consumo

As nações da América Latina tiveram um desempenho econômico mais modesto este ano, resultado do menor dinamismo da demanda externa, da maior volatilidade financeira internacional e da queda do consumo.

Para 2014, a Cepal espera um cenário externo mais favorável, que leve ao aumento da demanda externa e das exportações da região. O consumo privado também deve ser maior no próximo ano.

Oportunidades e Ameaças

A chefe da comissão, Alicia Bárcena, acredita que há oportunidade para aumento do comércio internacional. Segundo ela, políticas industriais que apoiem o crescimento, impulsionem a integração regional e atendam pequenas e médias empresas podem contribuir para mais investimentos.

Mas Bárcena também cita algumas ameaças que a região pode enfrentar, como a volatilidade da economia global e o maior custo do financiamento externo.

A Cepal também afirma que a taxa de desemprego na América Latina e Caribe ficou a 6,3% este ano e a inflação foi de menos de 5%, na maioria dos países.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 21 DE NOVEMBRO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 21 DE NOVEMBRO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

novembro 2014
S T Q Q S S D
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930