Após ataque em campo no Iraque, ONU pede ação imediata do governo

Ouvir /

Foguetes foram lançados no acampamento de Hurriya, matando vários desalojados; representente das Nações Unidas no país quer garantia da segurança para os civis iraquianos.

Nickolay Mladenov. Foto: ONU/Amanda Voisard

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas estão pedindo ao governo do Iraque para garantir segurança máxima a 3,2 mil exilados em um campo próximo ao aeroporto de Bagdá.

Um ataque de foguetes na noite de quinta-feira matou pelo menos três residentes do acampamento e deixou outros feridos.

Preocupação

Para o representante especial do Secretário-Geral no país, a ação foi um novo lembrete do aumento da violência no Iraque. Nickolay Mladenov expressou muita preocupação com o ataque.

Os foguetes atingiram o acampamento de Hurriya, que abriga os exilados, sendo que muitos são iranianos que estão no local desde a década de 1980.

Investigação

Mladenov pediu a garantia do aumento da segurança, destacando que a responsabilidade de proteger os residentes do campo é do governo iraquiano, segundo um acordo firmado com a ONU em 2011.

O representante quer ainda a investigação completa do incidente e que os responsáveis sejam levados à justiça. O ataque com foguetes também foi condenado pelo Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur.

A agência apela aos países para agir urgente e garantir a transferência de 1,4 mil civis do campo Hurriya. Desde 2011, o Acnur e a Missão da ONU no Iraque trabalham em conjunto tentando encontrar oportunidades para realocar os residentes. Mas até agora, somente 311 exilados conseguiram deixar o campo, entre os 3,2 mil moradores.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 25 DE JULHO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 25 DE JULHO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

julho 2014
S T Q Q S S D
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031