Comissão que analisa direitos humanos na Coreia do Norte deixa os EUA

Ouvir /

Durante o trabalho no país, grupo de peritos ouviu testemunhas,  pesquisadores, académicos e especialistas; em Washington, Comissão disse atenções vão ser dadas à prestação de contas e aos crimes contra a humanidade.

Bandeira da Coreia do Norte.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O grupo que investiga os direitos humanos na Coreia do Norte disse estar confiante quanto à recolha "de indícios e de informações substanciais para abordar todas as áreas pedidas pelo Conselho de Direitos Humanos."

As declarações foram feitas, esta sexta-feira, em Washington, pelo chefe do Comissão de Inquérito, Michael Kirby, após uma série de sessões de audição de testemunhas nos Estados Unidos.

Prestação de Contas

O juiz australiano disse que as atenções estarão agora voltadas para a prestação de contas e os crimes contra a humanidade, tidos como as mais difíceis e importantes solicitadas pelo órgão da ONU.

O destaque das sessões, ocorridas nestas quarta e quinta-feiras, foram duas testemunhas sul-coreanas. Jo Jinhye descreveu as experiências de subnutrição grave, da perda de dois irmãos e avó devido à fome, além da prisão dos seus pais por cruzarem frequentemente a fronteira para a China em busca de alimentos.

A segunda testemunha, que por temer represálias não quis ser identificada, falou da sua prisão sob acusação de praticar atividades religiosas proibidas. Durante 10 dias, esta teria passado maus tratos como o episódio em que foi "forçada a ficar descalça um dia inteiro em temperaturas abaixo de zero" ou vários espancamentos em interrogatório.

Pesquisadores

Para Kirby, questões relativas à responsabilização e aos crimes contra a humanidade não podem ser tomadas de ânimo leve.

Nos Estados Unidos, o grupo ouviu testemunhos de pesquisadores, de académicos e de especialistas em direitos humanos. As áreas analisadas incluem a de alimentos e de assistência alimentar.

Foi também examinada a associação entre a escassez alimentar crónica e o uso do fenómeno como forma de controlo de grupos.

Campos de Detenção

A Comissão recebeu informações sobre a capacidade de utilizar imagens de satélite para obter informação sobre o "vasto sistema carcerário de campos políticos da Coreia do Norte."

Nos dois dias, também foram ouvidos depoimentos de áreas como o tratamento submetido a mulheres detidas ou sujeitas a outros tipos de violência e repressão no seu país e na China, além de receios de perseguição, tortura e outras graves violações dos direitos humanos.

A Comissão recebeu depoimentos de soldados norte-americanos que foram prisioneiros de guerra.

A comissão formada este ano já ouviu mais de 70 testemunhas e entrevistou centenas de vítimas em audiências realizadas em países como Coreia do Sul, Japão, Reino Unido e Tailândia. 

*Apresentação: Denise Costa

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 15 DE SETEMBRO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 15 DE SETEMBRO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

setembro 2014
S T Q Q S S D
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930