Senadora diz que países devem reabrir debate sobre Acordo Ortográfico

Ouvir /

A brasileira Ana Amélia Lemos defende mais diálogo entre as academias de língua portuguesa dos oito países lusófonos, além de consultas amplas a professores de português sobre a eficiência da reforma.

 

Senadora Ana Amelia Lemos. Foto: Senado Federal

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Os países de língua portuguesa devem iniciar um debate sobre a eficiência do Acordo Ortográfico. A entrada em vigor em Portugal e no Brasil da tentativa de harmonização das ortografias brasileira e europeia está prevista agora para 1º de janeiro de 2016.

A proposta de diálogo foi feita pela senadora do Brasil, Ana Amélia Lemos. Ela é autora do projeto de lei que propôs que o país adiasse a entrada em vigor do Acordo de 2013 para 2016. O projeto deu origem ao decreto da presidente Dilma Rousseff, sancionado no fim do ano passado.

Ponto de Vista

Nesta entrevista à Rádio ONU, Ana Amélia Lemos defendeu a realização de consultas em todas as oito nações lusófonas sobre a validade da reforma ortográfica.

"Percebo que existe uma certa resistência bastante visível dos portugueses. Não só em Portugal, mas dos outros países de língua portuguesa em relação a esta questão. Então, eu penso que é preciso fazer um trabalho novamente de examinar, do ponto de vista diplomático, do ponto de vista da própria língua com a academia, com as universidades, com os professores da língua portuguesa não só no Brasil, mas nos outros países, para saber se de fato este acordo é válido, se deve ser feito e assim por diante. Então, acho que nós temos esse trabalho para fazer agora."

Ratificação

Para a senadora brasileira, a falta de ratificação do tratado por pelo menos um país africano de língua portuguesa demonstra que o Acordo Ortográfico, da forma como está, não é bem-sucedido.

"Eu acho que ele (Acordo Ortográfico) já fracassou por isso porque se esses países não assinaram ainda. Imagine, nós não temos outras formas de entender por que Angola não ratificou (o Congresso assinou, mas não ratificou), Portugal – o Congresso português está manifestando o desejo de haver um adiamento do Acordo também. Está claro que não há consenso em torno de uma matéria tão delicada. O que é a língua? É a identidade de um país. A identidade dos países de língua portuguesa."

Cplp

Anunciado em 1990, o atual Acordo Ortográfico foi endossado por todos os oito membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp, que abriga as nações que falam o idioma. A decisão foi anunciada em 2008, durante a 7ª. Cimeira dos Chefes de Estado e Governo da Cplp, em Lisboa. Na mesma ocasião, o bloco aprovou a estratégia de "internacionalização" do português.

Um ano depois, o Brasil implementou a reforma ortográfica, de modo voluntário, o que foi seguido em parte por Portugal.

Segundo a Cplp, o Acordo Ortográfico tem como objetivo harmonizar as duas escritas do português: a brasileira e a europeia com o intuito de melhor promover a língua no mundo incluindo em organizações internacionais.

 

 

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 21 DE NOVEMBRO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 21 DE NOVEMBRO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

novembro 2014
S T Q Q S S D
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930