Obama quer solução diplomática para a Síria e o Irã

Ouvir /

No discurso na 68ª Assembleia Geral da ONU presidente americano diz que acordo sobre armas químicas sírias pode levar a uma solução política para a crise; fim do programa nuclear iraniano pode ser o primeiro passo para melhorar as relações entre EUA e Irã.

Barack Obama discursa na 68ª. Assembleia Geral. Foto: ONU/Rick Bajornas

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou, esta terça-feira, que buscará uma solução diplomática para as crises na Síria e no Irã.

Obama fez a declaração durante discurso no plenário da 68ª Assembleia Geral da ONU.

Ação

O líder americano citou três áreas de ação consideradas importantes para seu governo. A guerra civil e o uso de armas químicas na Síria, os esforços diplomáticos para solucionar o programa nuclear iraniano e as negociações de paz entre israelenses e palestinos.

Obama afirmou que, em relação à Síria, o ponto inicial será a comunidade internacional aplicar uma proibição geral sobre as armas químicas.

Provas

Ele disse que as provas são esmagadoras de que o governo do presidente Bashar al-Assad usou tais armas no ataque de 21 de agosto. Para Obama, os inspetores da ONU relataram claramente que foguetes despejaram grandes quantidades de gás sarin sobre a população civil.

O presidente americano declarou que a Síria deu o primeiro passo listando seus estoques de armas químicas. Agora, Obama quer uma forte resolução do Conselho de Segurança para verificar se o governo sírio está cumprindo o prometido.

Além disso, o líder americano declarou que devem constar do documento consequências, caso a Síria não siga o que foi acordado.

Programa Nuclear

No caso do Irã, Obama acredita que a questão do programa nuclear do país também pode ser solucionada.

Ele cita as declarações feitas tanto pelo Líder Supremo do Irã, Ali Khamenei, como pelo novo presidente iraniano, Hassan Rouhani, contra o desenvolvimento de armas nucleares.

Obama afirmou que esses comunicados devem servir de base para um acordo significativo. Mas ele disse que para se obter sucesso, é necessário que as palavras correspondam a ações que sejam transparentes e verificadas.

Numa demonstração de que a proposta está sendo levada a sério, Obama ordenou que o secretário de Estado, John Kerry, mantivesse conversações com o governo iraniano. O processo vai ser acompanhado de perto pela União Europeia, Grã-Bretanha, França, Alemanha, Rússia e China.

Israelenses-Palestinos

O presidente americano disse também estar empenhado na solução do conflito entre palestinos e israelenses.

Ele deixou claro que os EUA não vão comprometer nunca a segurança de Israel nem o apoio pela existência de um Estado judeu. Ao mesmo tempo, Obama afirmou que os EUA continuam empenhados na ideia de que o povo palestino tem o direito de viver com segurança e dignidade em seu próprio Estado soberano.

ONU

Falando sobre o surgimento da ONU, Obama disse que os líderes que criaram as Nações Unidas não eram ingênuos, eles não pensavam que a Organização pudesse erradicar todas as guerras e conflitos.

O presidente americano explicou que depois de uma guerra com milhões de mortos e continentes destruídos, eles compreederam que a humanidade não poderia sobreviver no curso que estava seguindo.

Segundo Obama, a criação da ONU teve como base a crença de que a organização poderia permitir a solução de conflitos, aplicar normas de comportamento e criar hábitos de cooperação que cresceriam com o passar do tempo.

Assista aqui aos discursos em tempo real.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 17 DE SETEMBRO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 17 DE SETEMBRO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

setembro 2014
S T Q Q S S D
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930