Guterres diz à Rádio ONU que vizinhos da Síria precisam de mais apoio

Ouvir /

Na entrevista em Nova York, alto comissário das Nações Unidas para Refugiados destacou a situação no Líbano que está acomodando mais estudantes sírios que libaneses; para António Guterres, cenário de refugiados na região é de "pressão gigantesca."

António Guterres Foto: ONU

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.* 

A ONU está debatendo formas de melhor apoiar as nações vizinhas da Síria que estão abrigando os refugiados do conflito civil no país.

Nesta quarta-feira, o Grupo Internacional de Apoio ao Líbano se reuniu na sede da ONU com a presença do alto comissário da organização para refugiados, António Guterres.

Estudantes

Antes do encontro, Guterres disse à Rádio ONU que a pressão sobre a infraestrutura dos países está aumentando com o que ele chamou de "pressão gigantesca".

"É preciso compreender que não basta apenas ajuda humanitária. É preciso perceber que há um impacto estrutural deste enorme número de refugiados no sistema educativo e de saúde. Hoje, há mais estudantes sírios do que libaneses no ensino público no Líbano. Outro dia, visitei um hospital e em 16 incubadoras, 12 estavam com crianças sírias na Jordânia. Portanto, sem um apoio maciço do ponto de vista de desenvolvimento, do reforço das infraestruturas nos países vizinhos será impossível eles resistirem a esta pressão tão gigantesca", referiu.

Assistência

Guterres participou da conferência para mobilizar apoios para refugiados e comunidades afetadas pela crise além de dar "assistência estrutural e financeira para o Governo libanês."

O impacto do conflito sírio no Oriente Médio levou à criação, pelas Nações Unidas, do Grupo Internacional de Apoio ao Líbano. O país acolhe 720 mil dos 2 milhões de refugiados do conflito, que desalojou outros 5 milhões de pessoas.

Grupos da Oposição

Segundo a ONU, mais de um terço da população síria já deixou o país nos mais de dois anos dos confrontos entre forças do governo e grupos da oposição. A guerra já matou mais de 100 mil pessoas.

"Tudo é preciso, é preciso receber refugiados, ter fronteiras abertas em todo o mundo, receber refugiados em reinstalação, é preciso dar apoio financeiro a organizações humanitárias e é preciso apoiar aos Estados que estão recebendo os refugiados, e dar-lhes não apenas apoio financeiro mas apoio técnico. Tudo é necessário no presente momento porque esta crise tem uma dimensão à qual o mundo não estava habituado. É uma crise que ultrapassa tudo quanto se podia prever aqui há dois anos", explicou. 

Participaram da reunião, à margem da Assembleia Geral, líderes dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança, da Liga Árabe e da União Europeia. Em discussão esteve também o apoio à soberania do Líbano, que é a nação mais afetada pela crise síria.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 28 DE JULHO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 28 DE JULHO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

julho 2014
S T Q Q S S D
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031