Seminário marca os 10 anos da morte de Sérgio Vieira de Mello

Ouvir /

Autoridades brasileiras e das Nações Unidas se reuniram no Rio de janeiro para prestar tributo e debater o legado do brasileiro para a ONU; Organização lançou também no evento campanha de ajuda humanitária.

Homenagem a Sérgio Vieira de Mello. Foto: Unic-Rio

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.*

Mais de 300 pessoas participaram de um Seminário realizado no Rio de Janeiro, nesta segunda-feira, para marcar os 10 anos da morte de Sérgio Vieira de Mello.

O evento contou com a presença de autoridades brasileiras e das Nações Unidas. Vieira de Mello morreu num atentado contra à sede da ONU, em Bagdá, em 2003.

Influência

O Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antônio Patriota, falou sobre a cerimônia.

"É uma homenagem a um brasileiro que deixa uma marca realmente universal. Em todos os cantos do mundo ele é lembrado pela sua atuação. Atuação essa, que como eu pude salientar, reflete em boa medida certas características do próprio povo brasileiro e da própria diplomacia brasileira. Capacidade de diálogo com todos os lados, capacidade de comunicação com todas as culturas e isso é algo que nos inspira muito."

Patriota ressaltou a influência de Sergio Vieira de Mello na formação dos novos diplomatas do Itamaraty e disse que ele deixou um legado de universalidade na diplomacia brasileira.

Princípios

A subsecretária-geral para Assuntos Humanitários, Valerie Amos também falou sobre o legado de Vieira de Mello.

"O legado de Sérgio Vieira de Mello para a ONU é o compromisso de manter os valores e princípios da organização."

Segundo Amos, a morte de Sérgio serviu para lembrar os objetivos das Nações Unidas, manter a paz e promover a humanidade. A subsecretária-geral afirmou que "Ele era um líder carismático e seus ideais permanecem como uma inspiração para todos nós."

Bom Coração

O representante especial do secretário-geral da ONU em Guiné-Bissau, José Ramos Horta, que trabalhou com Vieira de Mello no Timor-Leste, falou sobre seu carisma.

"Sérgio Vieira de Mello foi um líder carismático com enorme capacidade intelectual e sobretudo tinha um bom coração, como brasileiro que era."

Ramos Horta disse ainda que para a ONU ter sucesso em sua missão, ela precisa da adesão do povo local onde ela vai trabalhar. O carisma de Sérgio Vieira de Mello e a sua vontade de escutar a população conseguiram dar credibilidade às atividades das Nações Unidas.

Campanha Humanitária

Ainda durante a cerimônia, a ONU lançou uma campanha humanitária global.

Neste ano, a campanha convida as pessoas a responder uma pergunta: O que você acha que o mundo mais precisa?

A iniciativa conta com a participação de organizações de ajuda humanitária, celebridades e empresas conhecidas internacionalmente.

Para ajudar, é preciso usar no Twitter ou no Facebook a hashtag #theworldneedsmore acompanhado da hashtag de uma palavra patrocinada – veja quais são em www.worldhumanitarianday.org. A cada palavra compartilhada, um dólar será doado para a campanha.

* Com a colaboração de Amanda Bergman e Fernanda Braune, do Unic-Rio.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 22 DE SETEMBRO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 22 DE SETEMBRO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

setembro 2014
S T Q Q S S D
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930