Número de crianças refugiadas na Síria ultrapassou 1 milhão, diz ONU

Ouvir /

Levantamento do Unicef e do Acnur foi divulgado nesta sexta-feira; para diretor-geral do Unicef, número representa uma "vergonha"; conflito já matou 7 mil crianças.

Família síria refugiada no Líbano. Foto: Acnur/E.Byun

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, anunciou esta sexta-feira, a marca de 1 milhão de crianças refugiadas por causa da guerra na Síria, que já dura mais de dois anos.

O diretor-executivo do Unicef, Anthony Lake, afirmou que a milionésima criança refugiada não representa apenas um número.

Vergonha

Para ele, isso significa que um menor de idade foi retirado de sua casa, talvez de sua família, para enfrentar horrores que só agora as autoridades começam a compreender.

Lake disse que "todos deveriam compartilhar da vergonha." Ele explicou que enquanto se trabalha para aliviar o sofrimento dos afetados pela crise, a comunidade global fracassa na responsabilidade de cuidar das crianças.

Geração de Inocentes

O alto comissário das Nações Unidas para Refugiados, Antônio Guterres, disse que o que está em jogo é nada menos que a sobrevivência e o bem-estar de uma geração de inocentes.

Guterres declarou ainda que a juventude síria está perdendo sua casa, seus parentes e seu futuro. Ele disse que mesmo depois de atravessarem a fronteira para regiões mais seguras, esses jovens estão traumatizados, deprimidos e necessitando de uma esperança.

Segundo o Acnur e o Unicef, as crianças representam mais da metade dos refugiados do conflito na Síria. A maioria está no Líbano, na Jordânia, na Turquia, no Iraque e no Egito.

As agências da ONU disseram que um número crescente de refugiados sírios está seguindo para o norte da África e também para a Europa.

Medo

O escritório do Alto Comissariado para os Direitos Humanos afirmou que 7 mil crianças foram mortas durante o conflito. O Acnur e o Unicef calculam que mais de 2 milhões de crianças foram deslocadas internamente por causa da violência no país.

Além do medo, do estresse e do trauma, as agências da ONU dizem que as crianças sofrem a ameaça de serem usadas em trabalho infantil, casamento forçado e na exploração e tráfico sexual.

Segundo as autoridades, mais de 3,5 mil menores atravessaram a fronteira da Síria com a Jordânia, com o Líbano e com o Iraque desacompanhados ou separados de suas famílias.

Operação Humanitária

Na maior operação humanitária da história, o Acnur e o Unicef conseguiram vacinar 1,3 milhão de crianças refugiadas. Mais de 160 mil estão recebendo ajuda psicológica e 118 mil conseguiram manter os estudos frequentando escolas e outros locais improvisados.

O Acnur registrou 1 milhão de crianças fornecendo nova identidade. A agência ajuda para que todos os bebês nascidos no exílio tenham uma certidão de nascimento para evitar o problema da falta de uma pátria, e de uma cidadania.

Além disso, o Alto Comissariado trabalha para que todas as famílias e as crianças refugiadas vivam em algum tipo de abrigo seguro.

Verba

Mas as agências reclamam da falta de verba. Algumas organizações disseram que receberam menos de 40% do dinheiro necessário para manter as operações de ajuda até o final do ano.

Para o Unicef e o Acnur, a solução para a crise na Síria deve ser política. As agências afirmaram que as forças do governo e da oposição devem parar de ter civis como alvo e também acabar com o recrutamento de crianças-soldado.

Para as autoridades humanitárias, os que desobedecerem essas obrigações perante à lei internacional devem ser responsabilizados pelas suas ações.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 31 DE JULHO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 31 DE JULHO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

julho 2014
S T Q Q S S D
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031