Brahimi: ação militar na Síria tem de passar pelo Conselho de Segurança

Ouvir /

Enviado da ONU e da Liga Árabe para o país diz ser contra intervenção; inspetores de armas químicas retomaram trabalhos nesta quarta-feira.

Lakhdar Brahimi Foto: ONU/Jean-Marc Ferré

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

O representante especial das Nações Unidas e da Liga Árabe para a Síria destacou nesta quarta-feira que qualquer ação militar externa contra o governo sírio precisa do respaldo do Conselho de Segurança. 

Em Genebra, Lakhdar Brahimi afirmou ser contra uma solução militar para o fim do conflito entre forças do governo e da oposição, que já matou cerca de 100 mil pessoas.

Lei Internacional

Brahimi contou não saber o que o presidente Barack Obama e o governo americano vão decidir com relação ao tema, mas o enviado especial destaca que a lei internacional é clara: o Conselho de Segurança precisa estar envolvido nesse tipo de decisão.

Ele afirmou ser certo que algum tipo de substância foi usada contra civis no dia 21 de agosto, perto da capital síria, Damasco. Brahimi espera que os inspetores químicos da ONU que estão no local tenham a oportunidade de continuar suas investigações.

Reunião

De acordo com o representante, será ótimo se a comunidade internacional puder fazer algo, porque já houve muitos assassinatos no país e ninguém quer mais mortes.

Brahimi disse que por princípios, é contra uma intervenção militar na Síria. Segundo agências de notícias, a pedido da Grã-Bretanha, membros do Conselho de Segurança devem se reunir ainda nesta quarta-feira para discutir o tema.

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 21 DE OUTUBRO DE 2014
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 21 DE OUTUBRO DE 2014
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

outubro 2014
S T Q Q S S D
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031